17°/ 31°
Belo Horizonte,
01/NOV/2014
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Babá testemunha de crime em Nova Lima é levada para local seguro após depoimento A mulher saiu da delegacia de Nova Lima sem dar entrevistas. O advogado da babá afirmou que ela está assustada e receosa

João Henrique do Vale -

Publicação: 02/02/2012 16:07 Atualização: 02/02/2012 16:20

O ex-marido da procuradadora é o principal suspeito do crime. Ele segue sendo procurado (Arquivo pessoal)
O ex-marido da procuradadora é o principal suspeito do crime. Ele segue sendo procurado
 

A babá que estava com os filhos da procuradora Ana Alice Moreira de Melo no momento em que a mulher foi assassinada, na madrugada desta quinta-feira, prestou depoimento nesta tarde em uma delegacia de Nova Lima, na Grande BH. Ela foi ouvida por cerca de duas horas e meia e saiu em um carro com vidros escuros, sem conversar com a imprensa.

De acordo com o advogado da babá, ela será encaminhada para um local seguro até o fim da investigação sobre o crime. A mulher estaria receosa e assustada com os fatos.

Veja imagens da mansão onde aconteceu o crime

O suspeito de cometer o crime é o ex-marido de Ana Alice Moreira, que continua desaparecido. Segundo a polícia, o empresário chegou à casa no Residencial Villa Alpina por volta de 20h30 e deixou o local às 4h desta quinta. Durante a madrugada, houve uma discussão entre o casal. De acordo com a perícia feita no corpo de Ana Alice, a morte aconteceu poucos minutos antes da fuga do empresário.

Durante a discussão, a babá que cuida dos dois filhos do casal, de 3 e 7 anos, levou as crianças para o banheiro da casa. A empregada relatou à PM que escutou muita gritaria. Pouco tempo depois, a funcionária deixou o banheiro e encontrou Ana Alice morta, com várias perfurações de faca no corpo.

Medidas protetivas

A procuradora denunciou as ameaças feitas pelo ex-marido no último dia 24, na delegacia de Nova Lima. A delegada Renata Fagundes disse que encaminhou a denúncia à Justiça, mas a medida que protegeria a mulher não foi emitida antes do assassinato.

O advogado da procuradora chegou a pedir para o juiz titular da Vara Criminal e da Infância e Juventude de Nova Lima, Juarez Morais de Azevedo, julgar a medida com urgência. O magistrado informou que iria tentar atender o pedido, mas que tinha que seguir com outros sete processos.

Às 18h30, o juiz deferiu a medida protetiva e tentou encaminhar para o advogado de Ana Alice. No entanto, ele já não se encontrava no local. O pedido teria de ser protocolado e depois seria encaminhado ao Ministério Público, que iria intimar o empresário para apresentar as determinações judiciais que ele deveria seguir.

Tags: celular

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Mario Lucio C Faria
Muitas vezes esses crimes são causados pela má conduta da mulher que trai escadalosamente o marido, huilhando-o. O sujeito perde a cabeça e comete uma besteira dessa. | Denuncie |

Autor: William Silva
Deixa de ser otário. Desde quando a justiça impede alguém de cometer um assassinato? Fato... A moça aprecia a Barbie, o marido devia ser ciumento e doido. As mulheres devem saber com quem se relacionar. Viver com psicopatas dá nisso. | Denuncie |

Autor: Enzo Pereira Botelho
A morosidade da justiça e a má vontade dos juizes ajudaram a fazer mais uma vítima. Será que os outros sete processos eram de ameaça de morte? Que dor de cabeça em doutor? ou seja, será que sente alguma dor de cabeça por isso? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.