17°/ 29°
Belo Horizonte,
25/OUT/2014
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cidades mineiras enfrentam as maiores enchentes da história Ao todo, 53 municípios já decretaram situação de emergência no estado

Pedro Ferreira -

Publicação: 04/01/2012 06:00 Atualização: 04/01/2012 06:57

Conselheiro Lafaiete, Congonhas e Jeceaba, na Região Central, consideram que viveram as piores enchentes da história. Em Jeceaba, o prefeito Júlio César Reis (PT) informou que os rios Camapuã e Paraopeba, que se encontram no Centro da cidade, subiram 10 metros. Moradores tiveram que ser socorridos de barco pelos bombeiros. Na zona rural, um helicóptero foi usado no resgate das pessoas.  “Ao todo, são 273 casas submersas e 700 pessoas desabrigadas. Muita gente resiste em deixar suas casas e a situação fica complicada”, disse o prefeito.

Em Congonhas, seis bairros e o Centro ficaram inundados. Cerca de 100 pessoas ficaram desalojadas e foram levadas para abrigos. A cidade também registrou vários deslizamentos de terra. Duas casas foram atingidas e paredes destruídas. A estrutura da Copasa, que alimenta a estação de tratamento, rompeu e parte da cidade ficou sem abastecimento. Na tarde dessa terça-feira, o Rio Maranhão, que corta a cidade, subiu 8 metros. Outros três rios também inundaram ruas e avenidas.

Nos últimos seis anos, segundo o prefeito, várias obras foram feitas para amenizar os impactos da chuva. “Nosso maior problema é que o rio recebe água da lavagem de minério nas mineradoras. O minério fica acumulado na calha do rio e a profundidade diminui”, informou o prefeito. A falta de água potável complicou ainda mais a situação, segundo o prefeito. “Não temos água nem para encher caminhões-pipa e vamos precisar de muita água para limpar a cidade. Não podemos pegar água do rio, pois está contaminada”, disse o prefeito. Várias comunidades da região ficaram isoladas devido a inundação de estradas.

Prejuízos

Conselheiro Lafaiete começou nessa terça-feira a contar os prejuízos. De acordo com a coordenadora municipal de Defesa Civil Fernanda Bernardes, o maior problema era a falta de abastecimento de água, suspenso segunda-feira à tarde pela Copasa. A previsão é que serviço fosse restabelecido nessa terça-feira à noite. O prefeito José Milton Rocha (PSDB), disse que seis pontes foram destruídas, 10 casas desabaram e 50 famílias ficaram desalojadas  “Tivemos diversos deslizamentos de terra e várias ruas danificadas. Boa parte da cidade passou o dia dessa terça-feira sem abastecimento de água e de energia elétrica”, afirmou.

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: Leonardo Silva
Conforme comentário do prefeito, as mineradoras despejam água de lavagem de minério nos rios da cidade. Hoje, às custas das fortunas de meia dúzia de acionistas da Vale e CSN, muitas famílias perderam todo seu patrimônio. Já passou da hora de atribuirmos as culpas devidas às grandes corporações. | Denuncie |

Autor: Paulo Barbosa
Realmente, Cons. Lafaiete, Congonhas e Jeceaba, sofreram uma grande enchente, onde grande parte da população, teve suas casas envadidas pela água, que não dava tregua e causando grandes prejuízos a população. Cabe agora, autoridades colocarem em prática um plano preventivo para evitar nova tragédia | Denuncie |

Autor: Raimundo Trindade Junior
A maior enchente da história em Minas Gerais foi em 1978. Foi chamada de "Enchente do Século". Esta deste ano foi maior? Tem certeza? Quais os índices que levaram a esta conclusão? | Denuncie |

Autor: dazio chaves
seria bom o IEF fiscalizar também as cidades: não é só o produtor rural que precisa observar o codigo florestal: todas as casas que foram invadidas por águas estão em areas de APP's. Observe as imagens de areas de produção de hortas no Estado do Rio: tudo em APP e já tinham sido destruidas em 2011 | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.