SIGA O EM

Juiz analisa condicional para Goleiro Bruno

A progressão de pena é referente ao processo de cárcere privado e lesão corporal da modelo Eliza Samudio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 24/05/2012 06:00 / atualizado em 24/05/2012 06:45

Thiago Lemos

O ex-goleiro Bruno Fernandes já pode ser beneficiado com a liberdade condicional. A progressão de pena é referente ao processo de cárcere privado e lesão corporal da modelo Eliza Samudio, em outubro de 2009. Pelo crime, o atleta foi condenado, no ano passado, pela Justiça do Rio de Janeiro, a quatro anos e seis meses de prisão. A decisão, que deve sair até amanhã, cabe ao juiz da Vara de Execução Criminal de Contagem, na Grande BH. Porém, mesmo que o parecer do magistrado seja favorável, o atleta vai continuar atrás das grades respondendo ao processo, que corre em Contagem, no qual é acusado de ter participado do desaparecimento e morte da modelo.

De acordo com o advogado Francisco Simim, um dos defensores do goleiro, Bruno já tinha direito ao livramento condicional desde janeiro pelo tempo de pena já cumprida. No entanto, o direito não havia sido solicitado antes porque a defesa aguardava a transferência do processo do Rio para Contagem. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o juiz Wagner de Oliveira Cavalieri aguarda parecer do Ministério Público para conceder ou não o benefício.

“Bruno já alcançou o direito a liberdade. Vou entregar os documentos amanhã. Resolvendo essa parte, ficamos dependendo apenas do julgamento do pedido de habeas corpus, que está no Superior Tribunal Federal” , argumenta Simim. O advogado informou que vai hoje a Brasilia conversar com os ministros do STF, na tentativa de adiantar a apreciação do pedido.

Enquanto a decisão do Supremo não sai, Bruno continuará detido na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, onde está há dois anos, em função de prisão preventiva expedida pela Justiça.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Frederico
Frederico - 24 de Maio às 17:51
Sem corpo sem liberdade. E se comprovar que essa quadrilha matou mesmo a moça, deixa mofar na cadeia. Mesmo que ela não prestasse... O idiota foi fazer um filho em uma vagabunda, nisso que dá. Se fosse uma pessoa correta, nada disso tinha acontecido.
 
jose
jose - 24 de Maio às 13:02
Infelizmente, este grande goleiro não pode ser solto. A lei tem ser igual para todos . Uma vida humana foi ceifada e não é a falta do corpo, argumento para LIBERDADE. Se fosse um ente querido dele, com certeza iria querer justiça. Que Deus tenha misericórdia desta moça e de seus algoses.
 
geraldo
geraldo - 24 de Maio às 10:14
Não entendi até hj a prisão desse rapaz. O mesmo tem endereço,trabalha, é pessoa pública sem antecedentes e na ocasião em q foi preso , o mesmo estava se entregando, ou seja se colocando a disposiçao da justiça. Se ele é culpado de td isso, cabe a justiça comprovar.
 
Daniel
Daniel - 24 de Maio às 10:01
A "melhor" polícia do Brasil não consegue achar um defunto? Faça-me o favor!
 
Henrique
Henrique - 24 de Maio às 09:50
Soltar o cacete. Esse cara se aproveitou da fama para viver esculachando Deus e o mundo. Não tem privilégio. Tem que pagar como qualquer cidadão, pelo crime do qual participou.
 
Jota
Jota - 24 de Maio às 08:31
Muito mais importante que a liberdade do Bruno é dizerem onde está o corpo de Eliza Samúdio. Do jeito que está dica parecendo que o Bruno é a vítima e Eliza a ré. Na verdade Eliza foi ré, condenada e executada sem direito a defesa. Digam onde está o corpo em troca da liberdade condicional.
 
Lucimar
Lucimar - 24 de Maio às 08:31
até hoje não entendi a prisão do Bruno, gostaria de saber em que está fundamentada.
 
Sergio
Sergio - 24 de Maio às 08:15
solta o Bruno para jogar copa 2014