SIGA O EM

Promotor pede internação de adolescente primo de Bruno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/07/2010 19:22 / atualizado em 23/07/2010 19:49

Mateus Castanha /

O promotor de Justiça Leonardo Barreto Moreira Alves entregou nesta sexta-feira, no Juizado da Infância e da Juventude de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, as alegações finais relativas à acusação do envolvimento do adolescente J., primo do goleiro Bruno, no desaparecimento e suposta morte de Elisa Samudio. Com base na confissão do menor e nas provas testemunhais, Barreto pediu a aplicação de medida socioeducativa de internação em centros especializados.

Segundo o promotor, o fato de não haver provas cabais da participação do jovem na ocultação do cadáver da modelo o levou a pedir a aplicação da medida socioeducativa apenas para os crimes de sequestro e homicídio. Leonardo Barreto explicou, ainda, que o pedido da pena foi baseado no chamado dolo eventual. “Mesmo que o menor não queira diretamente o resultado morte da vítima, acabou contribuindo para a ocorrência desse evento, no mínimo, aceitando o seu resultado, já que levou a vítima até o local da execução do crime", explicou.

Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a medida de internação deve ser aplicada pelo prazo mínimo de seis meses, só podendo ser cumprida por até três anos. Quando aplicada pelo juiz, a medida deve ser reavaliada pela Justiça a cada seis meses.