SIGA O EM

Carta a Hillary

Ministro brasileiro diz que terrorismo exige coordenação entre nações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 10/09/2011 14:45 / atualizado em 10/09/2011 14:52

Agência Brasil

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, enviou neste sábado carta de solidariedade à secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, pelos dez anos dos atentados terroristas de 11 de setembro.

Ele lembrou que 3 mil vítimas morreram na “horrível tragédia”, em 2001. “É com grande pesar que recordamos a perda de inúmeras vidas inocentes, inclusive de cidadãos brasileiros, causadas por brutais e injustificáveis atos de violência”.

O ministro lembrou ainda que em consequência do atentado, o Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou a Resolução 1.368, de 2001. “Foi a primeira [resolução] de várias que caracterizaram o atentado aos EUA como verdadeira ameaça à paz e à segurança internacionais”.

“Desde então, ficou claro que o flagelo do terrorismo exige formas inovadoras de coordenação entre as nações. Assim, a comunidade internacional desenvolveu estratégias globais para combater e prevenir o problema do terrorismo, que incluem, entre outras, o combate às suas causas, o fortalecimento das capacidades nacionais de prevenção e o respeito aos direitos humanos”, disse o ministro na mensagem.

Patriota destacou que o Brasil “sempre condenou e condena com veemência todas as formas de terrorismo” e “reafirma sua determinação, em estrito respeito ao direito internacional, de somar-se a esses esforços globais de ajudar a construir uma ordem internacional mais justa”.

"Dessa forma, estaremos contribuindo de modo significativo para a construção de uma paz duradoura, a qual requer um sistema de segurança efetivamente coletivo e a promoção do desenvolvimento sustentável para todos”.

Hoje, a presidenta Dilma Rousseff enviou mensagem de solidariedade ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pelos dez anos dos atentados terroristas.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600