SIGA O EM

Tecnologia

Softwares contribuem para o gerenciamento das propriedades leiteiras


CCPR - Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais

Conteúdo patrocinado
CCPR

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 965937, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Gilson de Souza ', 'link': '', 'legenda': 'Na Fazenda Cap\xe3o dos Machantes, em Arcos (MG), toda a fam\xedlia abastece o software com informa\xe7\xf5es da produ\xe7\xe3o de leite', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/11/27/712273/20151127164617520164a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 27/11/2015 16:35 / atualizado em 27/11/2015 16:52

Júlia Fernandes /

Gilson de Souza

A rotina da propriedade requer acompanhamento em todos os processos, como os manejos nutricional e sanitário e as anotações diárias das ocorrências do rebanho. Neste sentido, o acesso aos softwares gerenciais oferece à propriedade apoio na tomada de decisões e melhor nível de gerenciamento.

O software é um programa de computador que envolve sistemas operacionais, processadores de texto e todos os tipos de programas de aplicação. De acordo com o pesquisador da Embrapa Gado de Leite Samuel Oliveira, esta plataforma começou a ser utilizada na pecuária leiteira no país em meados dos anos 90 e desde então, com o aumento do acesso à internet e da diversificação dos tipos de computadores (desktops e notebooks), o interesse pelos softwares cresceu no meio rural.

Para a gestão da pecuária leiteira, o pesquisador explica que existem plataformas que atendem a diversos aspectos da atividade como a gestão da propriedade, o controle zootécnico e até a apuração de resultados econômicos. Em Arcos (MG), o produtor Vaine Teixeira é um dos precursores no uso da tecnologia em sua região, utilizando software em sua fazenda desde 1996.

Na Fazenda Capão dos Marchantes, a família do produtor, que é associado da Cooperativa dos Produtores de Leite Granelizado da Região de Pará de Minas Coopergranel), trabalha unida para abastecer o software de gerenciamento da fazenda. A gestão financeira da propriedade é de responsabilidade de Laura Cristina Alves, filha do produtor. Já os controles, gerencial e zootécnico, são realizados pela esposa, Eugênia Teixeira, que recolhe as anotações e treina os funcionários para abastecer o programa.

"Antes de começar a utilizar um software é preciso fazer um inventário da fazenda e anotar todas as atividades realizadas nela com detalhes: quando foi feita a cobertura, o parto, quando a bezerra nasceu e qual era peso do animal ao nascimento. Depois, sugiro passar estas informações para o programa, que vai ajudar bastante na geração de relatórios completos sobre todas as etapas do manejo", explica Eugênia Teixeira.

Na propriedade em Arcos, o software utilizado foi apresentado pelo consultor técnico da fazenda Alexandre Cardoso. Depois de instruir toda a família para o uso correto da ferramenta, mês a mês ele acompanha os relatórios gerados pelo programa e passa as coordenadas para a melhoria contínua da fazenda.

"Com os números em mãos, podemos criar metas nos setores da fazenda para melhorar o desempenho da propriedade. Outra vantagem do uso do software é que na medida em que a família o abastece, o programa sugere os parâmetros ideais para o manejo daquela determinada informação", avalia o consultor técnico.

A produção diária de leite na propriedade é de 3500 litros, com 130 vacas em lactação. Na propriedade os animais são alojados em uma estrutura de free stall, que além de oferecer melhores condições ambientais para evitar o estresse térmico, como ventiladores e aspersão de água, há também o reaproveitamento dos dejetos dos animais, que é destinado à lavoura na forma de esterco e, também, da areia das camas, que fica em exposição ao sol e é revolvida em uma pista. Após um ano, a areia está em condições de ser reutilizada no galpão.

"Nós já estamos completamente adaptados a esta ferramenta. O preço de qualquer medicamento comprado para o rebanho ou até mesmo os gastos das obras que fazemos na fazenda são lançados no software e por isso temos todos os dados", pondera o produtor Vaine Teixeira.

FERRAMENTAS DE APOIO AO PRODUTOR

De acordo com a coordenadora de Projetos Agropecuários da CCPR/Itambé, Tatiane Pizzol, entre os projetos de assistência técnica oferecidos aos produtores da organização, o Educampo e o Gestão Eficiente de Propriedades Leiteiras (GEPLeite), se destacam pela utilização de softwares no controle de informações técnicas e gerenciais. "O uso destas tecnologias nos projetos auxiliam aos produtores a tomarem decisões mais assertivas e acompanharem mais de perto os indicadores da atividade leiteira", diz.

A partir de 2016, a Embrapa Gado de Leite irá disponibilizar uma versão atualizada do software do GEPLeite aos produtores que já participam do projeto. "A disponibilização do produto será feita em duas etapas. Na primeira, os cooperados da CCPR/Itambé e da Cooperativa Santa Clara, acessarão ao software e completarão a validação dele junto à Embrapa. Depois, os técnicos e produtores receberão orientação sobre como se capacitar nesta nova ferramenta de gestão. A partir desta capacitação, o usuário poderá utilizar a ferramenta, alimentando o sistema e acompanhando em tempo real o desempenho de seu empreendimento", explica o pesquisador Samuel Oliveira.

A proposta é popularizar o GEPLeite como ferramenta de apoio à gestão da propriedade leiteira e por isso, a Embrapa está em fase de estudos para avaliar como disponibilizar esta ferramenta ao menor custo possível ao produtor de leite.

Na Gerência de Operações de Leite da CCPR/Itambé foi implantado neste ano o SmartQuestion, aplicativo para celular, cuja função é captar dados da coleta na fazenda como temperatura, volume, número da amostra, etc. Por meio desta ferramenta também é possível localizar os pontos de GPS (Sistema de Posicionamento Global) das fazendas e verificar quais foram as rotas planejadas e realizadas.

"Com a implantação do SmartQuestion, o produtor pode ter a emissão dos vales de coleta de forma eletrônica e receber as informações sobre a qualidade do leite por e-mail. Já a CCPR/Itambé, consegue reduzir os erros ao captar os dados de coleta e consequentemente, evitar falhas no pagamento do leite ao produtor. Além disso, com o uso da ferramenta, houve a garantia da rastreabilidade do leite", analisa do coordenador de logística da CCPR/Itambé, Diogo Clinquart.

Em Santana de Pirapama (MG), o produtor Cláudio Notini desenvolveu um aplicativo para a gestão zootécnica do rebanho. Em fase de teste, a plataforma será disponibilizada gratuitamente aos produtores, que poderão gerenciar a produção, reprodução, tratamentos, calendário de vacinas, distribuição da dieta ofertada ao rebanho e em paralelo, o programa disponibilizará estatísticas importantes para uma boa gestão do rebanho.

A Fazenda Jardim - de propriedade do produtor que é associado da Cooperativa Regional dos Produtores Rurais de Sete Lagoas (Coopersete) - é o cenário de testes do aplicativo. Para Notini, os indicadores da fazenda melhoraram com uso da plataforma. A produção diária na propriedade é de 2800 litros e por lá trabalham oito funcionários. "Com a apresentação da situação atual do rebanho fica muito fácil agir na correção dos rumos a seguir na propriedade", explica.

O lançamento do aplicativo, que foi criado para smartphones, será realizado no primeiro semestre do próximo ano. O produtor, que também trabalha na área de desenvolvimento de softwares, elaborou a ferramenta em seis meses e procurou criar uma interface que seja simples e fácil de ser usada.

"Em qualquer tipo de software, é desejável que todas as pessoas envolvidas na produção sejam capacitadas para usá-lo, desde os vaqueiros até os proprietários, para que assim, com base nos dados apurados, as tarefas sejam melhor distribuídas, organizadas e compartilhadas pelo grupo de trabalho", diz.