20°/ 32°
Belo Horizonte,
01/SET/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Operários correm para finalizar Trecho Leste do Rodoanel

Agência Estado

Publicação: 03/07/2014 17:01 Atualização:

São Paulo, 03 - Operários corriam nesta quinta-feira, 03, para deixar a primeira parte do Trecho Leste do Rodoanel Mario Covas pronta para receber veículos, a partir de sexta-feira, 04. Grandes extensões da via ainda não tinham sinalização horizontal, como faixas de rolamento ou demarcação de acostamento. Também havia pontos em que as defensas metálicas da lateral da pista não estavam instaladas. Outro problema era a poeira que invadia o asfalto em vários segmentos. Quase todos os postes de iluminação noturna restavam sem lâmpadas.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) participou de uma cerimônia pela manhã para inaugurar o Trecho Leste, a sua principal promessa de campanha no setor rodoviário. O próprio tucano prometeu que os veículos já poderão circular pela estrada logo na sexta-feira. Contudo, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), que regula as concessões de rodovias paulistas, não informou a hora de abertura do Trecho Leste para o público. Alckmin fica impedido de tomar parte de entregas de obras a partir do próximo sábado, já que concorrerá à reeleição.

Às 8h desta sexta-feira, uma vistoria técnica será feita pelo órgão para avalizar a entrega do trecho de 37,7 km aos veículos. Por enquanto, não será cobrado o pedágio de R$ 2,10 nas quatro saídas onde estão instaladas as praças de arrecadação. No Rodoanel, a cobrança só é feita na hora da saída do veículo. O Trecho Leste funcionará inicialmente entre o Trecho Sul do Rodoanel e a Rodovia Ayrton Senna, por onde passarão 33,2 mil veículos por dia -- cerca de 45% deles, caminhões. Ele só deverá estar completo, até a Rodovia Presidente Dutra, daqui a dois meses, quando terá 43,5 km de extensão.

De acordo com a diretora-geral da Artesp, Karla Bertocco Trindade, diversos aspectos precisam ser checados antes. "A gente ainda não tem a previsão do início de cobrança, porque depende de uma série de coisas. Vamos checar todos os call-boxes (telefones fixos de emergência instalados ao longo do acostamento), toda a iluminação, todos esses itens, para aí autorizar a cobrança de pedágio." Questionada se o pedágio começará a ser praticado em uma semana, ela disse achar "difícil". "Um mês, talvez. Uma semana não é possível."

A exemplo do que ocorreu com o Trecho Sul, o Leste não tem sinal de telefonia celular. Karla explicou que a Artesp se reuniu com as operadoras de celular para tentar agilizar a instalação de antenas ao longo do tramo leste. "Então, 84% do trecho está com cobertura de celular, pelo menos uma operadora."

Como os telefones fixos de emergência ainda estarão desligados nas primeiras semanas, o governo promete fiscalizações rotineiras da Polícia Rodoviária Estadual para garantir a segurança dos usuários. "Da Ayrton Senna para cá tem uma base da polícia, 24 horas, aqui. A rodovia vai ser policiada, isso faz parte desse trabalho", disse Alckmin.

O governador fez questão de ressaltar em seu discurso que a obra é ambientalmente correta, já que o trecho que passa sobre a várzea do Rio Tietê, próximo à Ayrton Senna, é elevado. Contudo, a reportagem constatou que vários sacos de cimento, além de concreto seco e outros tipos de entulho da obra, estavam jogados na várzea, sob os viadutos.

Marcos Abreu Fonseca, presidente da concessionária SPMar, responsável pela obra e pela administração do Trecho Leste, afirmou que a sujeira será limpa. "Nós vamos retirar. Tudo isso foi feito em cima de geogrelha e de uma manta. Você prepara uma parte do caminho para poder passar com guindaste. E esse material, depois, é todo retirado. Na verdade, a licença que a gente tem de implantação é de cinco anos."

Atraso

Alckmin explicou ainda que a obra está 114 dias atrasada e que a concessionária responsável pela construção foi multada em R$ 471 mil por dia. O presidente da SPMar disse que interferências não programadas impediram o cumprimento do cronograma. "Isso muitas vezes demora, porque não era uma coisa prevista e você começa a tratar no momento em que se depara. Por exemplo, algumas adutoras que encontramos de Sabesp, que nem o município tinha o cadastro."

Fonseca também falou a respeito do pavimento do Trecho Leste, que é, em sua maior parte, de asfalto. Nos ramos oeste e sul, predomina o concreto, apontado por especialistas como mais resistente e menos propenso a rachaduras e ondulações. "As experiências que a gente tem no Brasil, de modo geral, não são muito boas. Tivemos alguns problemas com a execução de pavimentos em outras obras rodoviárias. Já o pavimento flexível (asfalto) não, temos uma tecnologia superavançada."

Na cerimônia, Alckmin informou que Trecho Norte da rodovia será entregue no primeiro semestre de 2016, concluindo os 176 km do Rodoanel.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.