Após confronto com a PM, manifestantes ocupam avenida na zona leste de SP

Mais cedo, militares usaram balas de borracha e bombas para conter black blocs

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 12/06/2014 14:37 / atualizado em 12/06/2014 15:19

Estado de Minas

Reuters


Manifestantes que protestavam desde a manhã desta quinta-feira, 12, nas proximidades do sindicato dos metroviários, no Tatuapé, zona leste da capital paulista, passaram a ocupar parte da avenida Radial Leste, interrompendo o trânsito no sentido centro, na altura do Viaduto Pires do Rio. A polícia responde com bombas de gás lacrimogêneo, que acertaram não só os ativistas, mas também os carros que passavam. Vários veículos tiveram os vidros quebrados por manifestantes. O Shopping Metrô Tatuapé chegou a fechar as portas. Na altura da Estação Belém, a PM está revistando todas as pessoas que têm mochila.

Veja galeria de fotos

Alguns manifestantes invadiram uma loja de conveniência de um posto de gasolina, na esquina da Radial Leste com a Avenida Álvaro Ramos, perto da Estação Belém. Pamela Macedo, 20 anos, trabalha no posto e ficou em pânico. "Estava arrumando a loja, escutei um barulho e vi todo mundo correndo. Entraram aqui e derrubaram as coisas', diz ela, grávida de cinco meses e que nem sabia da manifestação.

Veja o vídeo do confronto




Mais cedo, um grupo de punks, anarquistas e black blocs entrou em confronto com a Polícia Militar. Balas de borracha e bombas foram atiradas, na altura da Praça Santa Teresinha, esquina com a Rua Platina, próximo ao sindicato, o que assustou moradores da região. O grupo havia se unido a um protesto de apoio aos metroviários, quando 10 pessoas ficaram feridas.

Com Agência Estado


 

Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.