Chuvas no Paraná prejudicam quase meio milhão de pessoas

Governo já decreta estado de emergência em 130 cidades e prejuízo pode chegar a R$ 1 bilhão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 11/06/2014 14:31 / atualizado em 11/06/2014 15:33

Agência Estado

Daniel Castellano/AGP Agência de Noticias Gazeta do Povo

Os prejuízos com as chuvas que caem no Paraná desde o final de semana podem chegar a R$ 1 bilhão, segundo estimativa divulgada pela Defesa Civil do Estado. Até o momento foram estimadas perdas de aproximadamente R$ 600 milhões. Nesta quarta-feira, 11, foi registrada a morte de uma pessoa em União da Vitória. Com isso, subiu para 12 o total de mortos por causa das chuvas que afetaram 492.552 pessoas.

O governo federal anunciou a liberação de mais recursos - o primeiro anúncio indicava ajuda de R$ 140 mil - para o Estado e a ajuda atingiu R$ 346,83 mil. As chuvas ainda continuam em algumas regiões do Estado e por conta disso o número de desabrigados está em 4.698 e 25.735 moradores dos 144 municípios atingidos estão desalojados. Por causa da gravidade do problema e para agilizar a liberação de compras de remédios e objetos de primeira necessidade, o governo estadual decretou estado de emergência em 130 cidades.

Além disso, o governo do Estado anunciou outras medidas para agilizar a ajuda aos moradores atingidos pelas chuvas. A partir de agora, todas as casas identificadas pela Defesa Civil como danificadas ou atingidas por alagamentos pagarão nos próximos três meses uma tarifa de R$ 1 pela água utilizada. Já a Copel - responsável pelo fornecimento de energia elétrica - parcelará em seis vezes as contas dos próximos três meses para todas as casas, comércios e indústrias atingidas. A cobrança deste parcelamento também se dará somente em 90 dias. Além dessas ações, a Secretaria de Estado da Saúde liberou cerca de R$ 5 milhões para que os prefeitos das cidades atingidas possam contratar mais profissionais, pagar horas extras.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.