Rio tem atos de professores e de grupo contra a Copa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 30/05/2014 20:37

Agência Estado

Rio, 30 - Professores das redes estadual e municipal do Rio, em greve desde o dia 12 de maio, interditaram no fim da tarde desta sexta-feira as duas pistas da Avenida Presidente Vargas, no centro da cidade, no sentido Candelária. Eles desobstruíram a via após alguns minutos, por volta das 17h. Ao contrário de quarta-feira, quando a polícia reprimiu o movimento, ontem a pista foi liberada pacificamente.

Os professores se reuniram em assembleia pela manhã e decidiram manter a greve. No encontro, a direção do Sindicato Estadual de Profissionais de Ensino (Sepe) repudiou a violência usada pela Polícia Militar para reprimir um ato da categoria na última quarta-feira e anunciou que vai arcar com as despesas médicas de um professor agredido que precisou passar por cirurgia. Pelo menos cinco docentes ficaram feridos na ocasião.

A desembargadora Leila Mariano, presidente do Tribunal de Justiça, convocou para a próxima quarta-feira, 4, uma reunião de conciliação entre o Sepe, Prefeitura do Rio e governo do Estado. Na última terça-feira a desembargadora decretou a ilegalidade da paralisação e determinou o pagamento de R$ 300 mil de multa diária em caso de descumprimento da decisão.

Contra a Copa.

Outro grupo que interditou o trânsito durante manifestação no Rio ontem à tarde foram ativistas que protestaram contra a Copa. Eles se reuniram na Cinelândia por volta de 17h30 e seguiram depois até a avenida Presidente Vargas, onde se encontraram com os professores. Cerca de 300 pessoas seguiram então até a frente da prefeitura, onde permaneceram até por volta das 19h30.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.