No Rio, 45 agentes de segurança concluem curso do FBI

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 15/05/2014 18:07 / atualizado em 15/05/2014 18:36

Agência Estado

YASUYOSHI CHIBA/AFP

Quarenta e cinco agentes de segurança do Rio, policiais civis, militares, guardas municipais e também bombeiros, concluem nesta sexta-feira, 16, um curso de controle de distúrbios civis trazido pelo FBI, a polícia federal norte-americana, e os departamentos de polícia das cidades de Los Angeles e Chicago, com vistas à Copa do Mundo, no mês que vem, e aos Jogos Olímpicos, em 2016.

Nos últimos três anos, mais de 30 cursos vêm sendo ministrados no Brasil por especialistas dos Estados Unidos com o objetivo de aprimorar as técnicas usadas por aqui. Dessa vez, os agentes, treinados desde segunda-feira, trocaram experiências quanto à abordagem a manifestantes, controle de multidões, planejamento operacional, tomada de decisões, uso de inteligência e até de relacionamento com a imprensa.

Veja mais imagens do treinamento na galeria


Há diferenças grandes em termos de legislação. "Nos Estados Unidos, se um indivíduo joga um coquetel molotov no policial, ele pode revidar atirando para matar. Aqui, se emprega o uso proporcional da força", explicou o major Leonarder Santana, subcomandante do Batalhão de Choque.

Nesta quinta-feira, 15, foi realizada no batalhão uma simulação com um pequeno grupo de PMs da unidade para a imprensa brasileira e estrangeira. Vinte PMs reproduziram um protesto violento teatralmente: um deles representou um manifestante que jogava uma blusa e um par de tênis contra a barreira de PMs, munida de escudos. Os PMs responderam ao "ataque" com o lançamento de bombas de efeito moral. O comandante do Batalhão de Choque, coronel André Vidal, disse que a atuação durante a Copa não será diferente da de praxe.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.