Dívida de R$ 140 teria motivado homem a amarrar crianças e incendiar casa

Rômulo Sebastião Nascimento foi bastante frio no depoimento e não demonstrou arrependimento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 13/05/2014 15:49 / atualizado em 13/05/2014 16:23

Correio Braziliense

Bruno Peres/CB/DA Press

O homem preso acusado de amarrar duas crianças e incendiar a casa em que elas estavam, em Ceilândia, no fim da tarde dessa segunda-feira (12/05), confessou ter praticado o crime. O artesão Rômulo Sebastião Nascimento de Sousa, de 21 anos, disse que o motivo para cometer o ato foi uma dívida que ele tem com o irmão mais velho das duas vítimas. A menina de 13 anos e o garoto de 9 anos morreram no atentado. O irmão dos garotos disse à polícia que a dívida na verdade é de R$ 140, mas o criminoso contou que é de R$ 500.

Em depoimento ao delegado titular da 15ª DP (Ceilândia Sul), Johnson Kenedy Monteiro, Rômulo contou que vendeu, dias antes, algumas peças de artesanato para Marcos Paulo Silvo Santos. Durante o último fim de semana, ele cobrou o valor dos produtos e Marcos Paulo pediu para que Rômulo passasse em sua casa na tarde desta segunda-feira para quitar parte da dívida.

Conforme combinado, Rômulo foi até a residência de Marcos Paulo. O rapaz entregou R$ 100 para Rômulo e os dois deixaram a casa. Enquanto Marcos Paulo foi para o trabalho, Rômulo voltou até a casa e tocou a campainha. O menino de 9 anos atendeu a porta e o artesão disse que havia esquecido uma coisa e que queria buscar. O garoto, então, permitiu a entrada.

Dentro da casa, Rômulo disse que quis levar um notebook que estava no local para saldar o restante da dívida. Com medo, as duas crianças gritaram e tentaram impedir. com isso, Rômulo levou a menina para um quarto e amarrou suas duas mãos com o fio de um carregador de celular. Depois, levou o menino para o outro quarto e o amarrou com um pedaço de lençol rasgado. Quando Rômulo voltou para a sala para levar os objetos, percebeu que a menina tinha conseguido se soltar. O homem então voltou para o quarto, amarrou as mãos com os fios junto ao pescoço da menina e colocou fogo no colchão. Fechou a porta por fora e escorou com a cadeira.

Rômulo foi ao outro quarto e colocou fogo no lençol. Saiu, escorou a porta com uma cadeira e colocou o sofá prendendo as duas saídas. Pegou um vidro de álcool que encontrou por perto e colocou fogo.

Na sala, colocou fogo nos outros móveis e saiu do local levando um notebook, um tablet, três celulares e uma máquina fotográfica, dentro de uma mala. Quando subia a rua, ainda cruzou com a mãe das crianças, que o cumprimentou. Rômulo apenas abaixou a cabeça e não disse nada. O criminoso foi localizado por volta das 19 horas pela Polícia Civil, na casa da namorada.

Segundo o delegado Johnson Monteiro, o suspeito, que não tinha antecedentes criminais, foi preso em flagrante e durante o depoimento foi bastante frio e não demonstrou arrependimento. Ele responderá por duplo latrocínio e pode pegar até 60 anos de prisão. Ontem mesmo o criminoso foi transferido para o Departamento de Polícia Especializada (DPE) e deve ser transferido para a Papuda nesta terça.
Tags: