12°/ 23°
Belo Horizonte,
26/JUL/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Assaltante de ônibus no Rio se entrega e liberta os dois reféns As duas pessoas ficaram cerca de duas horas e meia sob ameaça

Estado de Minas

Publicação: 10/05/2014 19:41 Atualização: 10/05/2014 21:19

Após duas horas e meia, terminou o sequestro a um ônibus da linha 723m que liga os bairros de Cascadura e Mariópolis, na zona norte do Rio de Janeiro. Um sequestrador armado com uma tesoura manteve uma passageira e o motorista do coletivo sob ameaça. O veículo ficou parado na Avenida Brasil, altura do Bairro Guadalupe, no subúrbio carioca, após ser interceptado pela polícia. Segundo informações da polícia, o sequestrador ficou durante todo o período com uma faca apontada para o pescoço da mulher, uma jovem de 18 anos, identificada apenas como Rafaela. O homem foi identificado como Paulo Roberto, de 35 anos, e já possui outras passagens pela polícia.

O homem se entregou pela porta localizada no meio do ônibus e assim que saiu foi imobilizado pelos policiais que estavam acompanhando a negociação. Na sequência, o motorista saiu do coletivo pela porta da frente. Já a mulher que teria ficado sob ameaçada direta do sequestrador também saiu pela porta do meio e foi amparada por policiais. Não foi divulgada informação sobre o estado de saúde das vítimas.

O Batalhão de Operações Especiais (BOPE) foi chamado para conduzir as negociações. Vários atiradores ficaram posicionados no local, ao lado das portas e dos pneus do veículo, prontos para uma eventual ação contra o sequestrador. Viaturas da Polícia Militar e também viatura do Corpo de Bombeiros.

O homem – apontado como usuário de crack -, entrou no ônibus na Avenida Brasil e pouco tempo depois pediu para que o motorista parrasse, e mandou que os outros passageiros descessem, anunciando o assalto, mas que acabou se transformando em sequestro.

Ônibus 174

O caso é semelhante ao sequestro do Ônibus 174, ocorrido em 2000 no Jardim Botânico, na zona sul. Na época, Sandro do Nascimento anunciou um assalto às 14h30 e passou toda a tarde com 10 pessoas sob sua custódia, ameaçando matar os reféns. O criminoso era sobrevivente da chacina da Candelária, em 1992. O ônibus foi cercado por policiais e o sequestro, transmitido ao vivo para todo o País.

Após uma longa negociação, por volta das 19 horas, o sequestrador liberou a maior parte dos passageiros. O sequestrador manteve apenas a professora Geisa Firmo Gonçalves, de 20 anos, como escudo humano. Quando ele se preparava para entregar a refém e a arma, um policial do Bope atirou a pouca distancia e acabou matando a professora. O sequestrador foi rendido e morto minutos depois dentro da viatura da Polícia.

 Com Agência Estado
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.