17°/ 31°
Belo Horizonte,
01/NOV/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Greve pode paralisar linhas da CPTM na semana que vem

Agência Estado

Publicação: 09/05/2014 14:49 Atualização:

São Paulo, 09 - Os sindicatos que representam os trabalhadores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deliberaram em assembleia na quinta-feira, 8, que devem entrar em greve por tempo indeterminado a partir da quinta-feira da semana que vem, dia 15. Passageiros de 22 municípios da Grande São Paulo podem ficar sem o serviço a partir da 0h desse dia. As seis linhas da CPTM, que é controlada pelo governo do Estado, transportam diariamente 2,8 milhões de usuários, em média.

Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial com reposição inflacionária entre março de 2013 e fevereiro deste ano (o que, segundo eles, gira em torno de 5,4%, pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor), além de 8% de ganho real. A categoria também pede equiparação dos créditos de seu vale alimentação (hoje em R$ 100 por mês) com o dos metroviários (que está em R$ 247,69). Também há reivindicação pelo aumento do vale refeição para 24 cotas de R$ 30 mensalmente, ou seja, mais do que as 22 cotas de R$ 23 que vigora hoje.

Outro ponto defendido pelos sindicatos é uma garantia mínima de R$ 5 mil por cada trabalhador da empresa no programa de participação nos resultados. Esse ganho tem sido variável e, segundo Eluiz Alves de Matos, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de São Paulo, a partir de metas estabelecidas pela própria empresa, que dificilmente são atingidas. Ainda de acordo com Matos, com relação ao reajuste salarial, a empresa fez uma proposta de 3,97%, ou seja, abaixo da inflação. "Estamos em negociação desde janeiro e a CPTM alegou que essa é a proposta final, mas a categoria a rejeitou."

Às 18h da próxima quarta-feira, 14, uma nova assembleia está prevista para acontecer na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de São Paulo, que representa os funcionários da antiga estrada de ferro Santos-Jundiaí, o que corresponde às atuais Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM. "Se o governo do Estado ou a CPTM tiverem interesse em fazer um acordo, que apresentem essa proposta. Se não, essa assembleia servirá para delinear o movimento que vai acontecer a partir da meia-noite."

Além dessa entidade, participam do movimento o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Sorocabana, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central do Brasil e a Associação dos Engenheiros Ferroviários no Estado de São Paulo. Matos informou que ainda não há nenhuma audiência programada na Justiça do Trabalho para que as partes possam tentar chegar a um acordo. Procurada no início da tarde, a CPTM não informou qual é a proposta da empresa para a situação.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.