Unicamp cai em ranking das escolas da próxima geração

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 30/04/2014 20:31

Agência Estado

São Paulo, 30 - A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) é a única brasileira no ranking de 101 instituições com menos de 50 anos da Times Higher Education (THE), uma das principais referências na medição de qualidade do ensino superior. A universidade, porém, caiu em relação ao ano passado: de 28.ª para 37.ª. A lista foi divulgada nesta quarta-feira, 30.

Como a avaliação se restringiu a instituições jovens, a Universidade de São Paulo (USP), fundada em 1934, e a maioria das federais de ponta ficam de fora. A Universidade Estadual Paulista (Unesp), de 1976, é candidata, mas não entrou. A intenção do ranking é mapear novas instituições com potencial de ser “Harvard ou Oxford da próxima geração”, destaca a THE. Da América latina, a Unicamp é a única. A Coreia do Sul está no topo.

Desafios.

A pró-reitora de Desenvolvimento Universitário da Unicamp, Teresa Atvars, disse que dois fatores pesaram na queda. Um é o recuo na proporção de professores em relação a alunos, motivada pela recente criação de uma especialização semipresencial com mais de 4 mil estudantes. Outro é a inserção de mais periódicos científicos brasileiros em bancos de dados internacionais. “Parte desses, por serem em português, tem baixo índice de impacto e número baixo de citações.”

Já a Unesp creditou sua ausência à contratação de grande número de docentes nos últimos anos, ainda consolidando suas linhas de pesquisa. Para o especialista em análise de produção científica Rogério Meneghini, o principal desafio ainda é a internacionalização. “A presença de professores estrangeiros e a colaboração em pesquisas de outros países, o que é fraco no Brasil, influenciam muito essas medições.”
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.