Polícia indicia suspeito por ameaçar criadora de campanha contra o estupro

Um homem e um adolescente foram identificados pela polícia. Outros suspeitos também são investigados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 29/04/2014 08:17

Correio Braziliense

Facebook/Reprodução
A polícia civil do Distrito Federal indiciou um suspeito por ameaçar a jornalista Nana Queiroz, criadora do movimento "Eu Não Mereço Ser Estuprada". O jovem de 23 anos prestou depoimento na cidade em que morava e deve responder por injúria e ameaça. Um adolescente de 16 anos também foi identificado e irá responder por ato infracional análogo a ameaça. De acordo com a Delegacia da Mulher, a polícia também investiga outros suspeitos.

A jornalista recebeu ameaças de estupro e violência após a criação da campanha. O movimento foi criado após a divulgação de uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que revelou erroneamente que 65% dos entrevistados disseram que as mulheres mereciam ser atacadas quando vestidas com roupas mostrando o corpo. O percentual
correto era de 26%, mas apesar da confirmação do erro, o resultado da pesquisa causou reação da sociedade. A campanha "Eu não mereço ser estuprada" foi reproduzida por milhares de pessoas nas redes sociais.

A presidente Dilma Rousseff também apoiou a jornalista. "O governo e a lei estão do lado de @nanaqueiroz e das mulheres ameaçadas ou vítimas de violência #respeiteasmulheres", escreveu Dilma na conta oficial do Twitter.

Nana Queiroz ficou conhecida por sua foto sem roupa e os dizeres "eu não mereço ser estuprada" escritos no corpo. Ela foi ameaçada por internautas após a criação da campanha e denunciou as centenas de ameaças que recebeu à Delegacia da Mulher.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.