13°/ 24°
Belo Horizonte,
24/JUL/2014
  • (7) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ministério Público Federal explica decretação da prisão de líder da greve da PM na Bahia Nota lembra que Prisco liderou três greves ilegais com graves consequências para os cidadãos baianos

Agência Estado

Publicação: 19/04/2014 14:49 Atualização: 19/04/2014 14:53

O Ministério Público Federal divulgou neste sábado uma nota a respeito da prisão preventiva do vereador e bombeiro Marco Prisco (PSDB), líder dos policiais militares na Bahia. Conforme o MPF, a medida foi requerida pela entidade federal e decretada pela Justiça Federal na Bahia para a garantia da ordem pública. Prisco responde a ação penal por crimes previstos na Lei de Segurança Nacional.

A nota, publicada no site do MPF, afirma que Marco Prisco "mesmo denunciado pela prática de crimes contra a segurança nacional, continuou ostensivamente a instigar o uso da violência e da desordem e a liderar movimentos grevistas expressamente proibidos pela Constituição Federal, não só no Estado da Bahia, como em outras unidades da federação, apostando na política do terror”.

O texto lembra também que Prisco liderou três greves ilegais com graves consequências para os cidadãos baianos. “Apenas entre os dias 16 e 18 deste mês de abril, período em que os policiais militares interromperam suas atividades, mais de cem pessoas foram assassinadas em Salvador, além de terem sido praticados saques, 'arrastões', roubos e a restrição ao direito de ir e vir dos cidadãos. Enfim, instalou-se entre a população baiana verdadeiro estado de pânico generalizado”.

O comunicado ressalta ainda que “entre as hipóteses legais para a decretação da prisão preventiva estão a garantia da ordem pública e a necessidade de preservar a sociedade contra a possibilidade de que o réu continue a reincidir em práticas delitivas."

Mais cedo, o Sindicato dos Policiais Federais da Bahia (Sindipol-BA) também havia divulgado nota sobre a prisão preventiva de Prisco. O texto diz que a prisão foi realizada por "expressa determinação judicial emanada da Justiça Federal, acolhendo representação do Ministério Público Federal, pelo que descabe, em princípio, qualquer discussão acerca de seu cumprimento". Mas deixa clara a discordância do Sindipol com a prisão. O comunicado ressalta que "há indícios severos" de um "processo de judicialização de uma questão política, conduzido de forma débil, e que não pode redundar em confronto ou hostilidades entre forças policiais".
Tags:

Esta matéria tem: (7) comentários

Autor: carlos bertoline
Interessante: líder de greve de policiais militares pode ser enquadrado na lei de segurança nacional. Mas líderes do MST que destrói, invade, rouba e faz atentados contra agricultores de verdade, não podem ser enquadrados na lei de segurança nacional. Já está mais do que na hora de acabar com o PT. | Denuncie |

Autor: carlos bertoline
Líder da greve preso com base na "Lei de Segurança Nacional". A lei símbolo do resquício da ditadura, sempre condenada pelo PT, Lula e sua turma, sendo agora usada contra a liberdade de expressão e liberdade de greve. Se é contra o governo militar, não pode. Se é contra governo do PT, pode se aplicar | Denuncie |

Autor: airton coelho
A prisão do Prisco não passou de uma pura ação pirotécnica para demonstra "força/poder" da Sra Dilma para humilhar e constranger o povo baiano seus guerreiros. Nas eleições futuras ela terá o troco. Engraçado que o Lula, na década de 1980, era um verdadeiro incendiário de greve Brasil afora. | Denuncie |

Autor: airton coelho
A dita Justiça Federal não pode estar acima do bem e do mal. Desde quando uma chamada Justiça Federal pode se imiscuir em assuntos internos de um estado federado. Aliás, não sei nem mesmo para existe esta "justiça". Na minha modesta opinião, não passa de um verdadeiro cabide de empregos. | Denuncie |

Autor: airton coelho
Cont: Só quero ver a hora que os mauricinhos da dita PF, PRF e PFF fizerem greve se os "mocinhos" do MPF, tb, irá requerer a prisão dos seus lideres. Vamos aguardar. Se isso não ocorrer, estaremos diante de uma gigantesca parcialidade que a sociedade de bem não poderá aceitar. Vamos aguardar! | Denuncie |

Autor: airton coelho
Totalmente contra a referida prisão. Estão querendo, de fato, judicializar uma questão política. Pimenta nos olhos dos outros é refresco. Os "mocinhos" do dito MPF ganham salários de marajás e não estão nem aí com a desgraça dos outros. | Denuncie |

Autor: paulo ferreira
Brasil: Venezuela de lingua portuguesa: prende-se oposicionistas, expulsa-se jornalistas que critiquem o governo, a petrobras venezuelana tb tem altos indices de corrupção, metade da população se ilude com o governo, a saude e a educação vão de mal a pior... FORA Dilma, Lula NUNCA MAIS!!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.