Pedreiro é indiciado por morte da neta de Portinari

Homem causou resultado involuntário ao não observar medidas de segurança em obra de banheiro onde adolescente morreu asfixiada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 31/03/2014 17:01 / atualizado em 31/03/2014 17:50

Agência Estado

O pedreiro João Alves de Souza, de 65 anos, foi indiciado por homicídio culposo pela morte de Maria Cândida Carvalho Portinari, de 16 anos, neta do pintor Cândido Portinari, ocorrida em 24 de março de 2013.

Maria Cândida morreu asfixiada por gás, enquanto tomava banho. O pedreiro reformou o banheiro da casa da vítima, antes do acidente, e manteve o cômodo sem exaustão nem ventilação. Segundo a investigação da 15ª DP (Gávea), a morte foi causada pela queima do gás que aciona o aquecedor, pela ausência de abertura na porta do banheiro para ventilação e pelo fato de a chaminé do aquecedor estar instalada dentro do forro de gesso, impossibilitando a exaustão.

Para a Polícia Civil, João agiu sem tomar o cuidado necessário, e causou resultado involuntário. Ele pode ser condenado à prisão, pelo prazo de um a três anos. A investigação segue para a 15ª Promotoria de Investigações Penais do Ministério Público.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.