Nível do Sistema Cantareira desce a 15,2% e agrava abastecimento em São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 16/03/2014 18:31

Agência Brasil

O volume de água armazenado no Sistema Cantareira chegou a 15,2% hoje (16), segundo dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A falta de chuva e o calor neste início de ano têm feito o nível do reservatório acumular recordes negativos. Desde o dia 9, o armazenamento vem caindo progressivamente, cerca de 0,1 ponto percentual por dia. A situação é a pior desde que o sistema foi criado, na década de 1970.

Na última segunda-feira (10), o bombeamento do sistema teve um corte, passando de 31 mil metros cúbicos por segundo para 27,9 mil litros por segundo. A medida seguiu uma determinação da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee). Para suprir o volume que deixa de ser retirado do Cantareira, a Sabesp informou que utilizará a água de dois reservatórios de abastecimento: o Alto Tietê e o Guarapiranga.

Também em cumprimento às determinações da ANA e do Daee, a companhia anunciou, no dia 13, a redução de 15,5% no volume repassado para os municípios que compram água por atacado do Sistema Cantareira. Mais de 8,45 milhões de habitantes da Grande São Paulo são abastecidos diretamente pela Sabesp a partir desses reservatórios.

Para minimizar o impacto no fornecimento de água, o governo adotou a campanha de estímulo à redução de consumo, com desconto de 20% na tarifa a quem economizar 30% no gasto mensal da água. Além disso, foi contratado o serviço de semeadura de nuvens para provocar chuvas na região das represas que alimentam o sistema e, dentro de 60 dias, deve entrar em operação o bombeamento da água que fica em pontos mais profundos, considerada de reserva estratégica.

O Sistema Cantareira é maior reservatório de água de São Paulo e abastece quase 9 milhões de pessoas na região metropolitana da capital.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.