Agentes da PF em São Paulo protestam contra condições de trabalho

Manifestação bem humorada alerta o aumento do número de afastamentos por problemas psiquiátricos, além da frequência de cortes nas investigações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 11/02/2014 15:47 / atualizado em 11/02/2014 16:18

Agência Brasil

Marcelo Camargo/Agência Brasil


Cerca de 250 agentes da Polícia Federal (PF) fizeram nesta terça feira 11, um ato em frente à superintendência da PF na Lapa, na zona oeste da capital paulista, para reivindicar melhores condições de trabalho.

A mobilização, que reuniu agentes, papiloscopistas e escrivães, faz parte do dia nacional de luta da categoria. Em São Paulo, cerca de 50% das atividades foram paralisadas, segundo Alexandre Santana Sally, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Civis Federais do Departamento de Polícia Federal no Estado de São Paulo.

“Era nosso objetivo manter um pouco mais [dos 30% de efetivo obrigatório] trabalhando para não prejudicar a população”, disse Sally. Ele destacou que não houve interrupção do serviço de emissão de passaportes. As atividades da PF nos aeroportos ocorreram normalmente.

Policiais federais pedem a restruturação da carreira, como forma de motivar a categoria. De acordo com Federação Nacional dos Policiais Federais, cerca de 230 agentes abandonam anualmente a PF. “Falta estrutura, investimentos. Isso reflete no trabalho que desenvolvemos”. Sally avalia que o frequente corte no orçamento da PF prejudica as investigações.

Durante o ato, que teve início ao meio dia, eles usaram máscaras cirúrgicas em alusão ao Dia Nacional do Enfermo, comemorado hoje como forma de lembrar o aumento dos casos de afastamento de policiais do trabalho por problemas psiquiátricos. Eles também fizeram uma caminhada por alguns metros da Marginal Tietê, ocupando uma das faixas da pista.
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Tags: