Central do Brasil tem catracas liberadas para evitar tumultos em protesto

Conforme anunciou a prefeitura, as tarifas vão passar de R$ 2,75 para R$ 3 a partir de sábado. População não aceita aumento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 06/02/2014 20:42 / atualizado em 06/02/2014 20:56

Agência Brasil

VANDERLEI ALMEIDA / AFP

A empresa responsável pelo transporte de trens no Rio de Janeiro, SuperVia, decidiu liberar as catracas da Estação Central do Brasil para o embarque de passageiros a fim de evitar mais tumulto no local, ocupado por manifestantes. Eles protestam contra o aumento da passagem de ônibus. As tarifas vão passar de R$ 2,75 para R$ 3 a partir de sábado (8), conforme anúncio da prefeitura.

Policiais e manifestantes entraram em confronto dentro do prédio da estação, que chegou a ser fechado por alguns instantes, após ser esvaziado com o uso de bombas de gás lacrimogêneo por policiais militares. Do lado de fora, há muito tumulto. Os participantes do protesto são reprimidos pela Tropa de Choque e respondem com pedradas às ações dos policiais.

Diversas fogueiras foram acesas nas ruas em torno da Central do Brasil, prejudicando o tráfego de veículos, que ficou praticamente paralisado na região. Passageiros que não participavam do protesto correram assustados sem saber o que fazer para fugir das pedras arremessadas pelos manifestantes e das bombas de gás jogadas pela polícia.

Apesar do tumulto, o serviço de trens não foi paralisado e a estação, de ontem partem todos os ramais, continua funcionando.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.