Laudo confirma que jovem morreu por explosão de dinamite em Pirenópolis, GO

A polícia ainda trabalha na linha de investigação de homicídio seguido de suicídio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 17/01/2014 17:26 / atualizado em 17/01/2014 19:17

Correio Braziliense

Reprodução/Facebook
A delegacia de Pirenópolis (GO) - que investiga as mortes da estudante de enfermagem Loanne Rodrigues da Silva e do padastro dela, Joaquim Lourenço - recebeu o laudo cadavérico que comprova que os dois morreram em decorrência da explosão de dinamites, amarradas ao corpo deles.

O delegado que analisa o caso, Rodrigo Luiz Jayme afirmou que o documento não é conclusivo. "Esperamos o laudo grafotécnico de Anapólis e da polícia técnica de Goiânia para concluir o caso e encaminhar ao judiciário". Jayme acredita que inquérito deve ser concluído em até 10 dias.

De acordo com Jayme, o documento grafotécnico vai comprovar se as cartas destinadas a Loanne foram mesmo escritas por Joaquim. Já o laudo da polícia técnica vai indicar a cena do crime, com base nas impressões digitais e objetos que estavam na cena do crime. A polícia ainda trabalha na linha de investigação de homicídio seguido de suicídio.

Loanne e Joaquim foram encontrados mortos amarrado em uma árvore em 16 de dezembro. O padrasto da jovem teria a levado para o Morro do Frota com a intenção de tirar fotos. Com o desaparecimento da estudante e do padrasto, moradores e familiares começaram as buscas.

Primeiro, a polícia acreditava em duplo homicídio motivado por vingança. Depois, quando agentes encontraram fragmentos de dinamite no local, os rumos da investigação mudaram. Testemunhas relataram o ciúme que Joaquim tinha da enteada. Não se sabe ainda se eles mantinham algum relacionamento amoroso.
Tags: