Ataques de bandidos em São Luís deixam cinco feridos

A ordem para os ataques partiu dos bandidos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 04/01/2014 17:13

Agência Estado

Agência Brasil
Quatro ônibus foram queimados e uma delegacia foi atacada pelos criminosos na noite desta sexta-feira (3), em São Luís. Eles jogaram gasolina e atearam fogo aos coletivos enquanto os passageiros ainda estavam nos veículos. A ação deixou cinco pessoas feridas, quatro delas em estado grave. Entre as vítimas estão duas crianças.

A ordem para os ataques partiu dos bandidos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. Em nota, o governo do Maranhão informou que os mandantes dos ataques já foram identificados e que está reforçando o policiamento na capital do Estado.

A governadora Roseana Sarney (PMDB) terá de prestar informações ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, até a próxima segunda-feira (6) para dizer quais providências estão sendo tomadas para controlar a violência no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e evitar mortes no Estado. Somente nesse início de 2014, duas pessoas morreram dentro do presídio. Em 2013, 59 detentos foram mortos no complexo.

A crise no sistema carcerário do Maranhão ganhou as ruas da capital na noite desta sexta-feira (3). Uma ordem partida de dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas fez com que bandidos queimassem quatro ônibus e atirassem em uma delegacia de polícia.

A polícia maranhense ainda investiga se a execução do policial militar reformado Antônio César Cerejo tem ligação com a onda de terror promovida pelos membros de duas facções criminosas que lutam pelo controle do tráfico de drogas em São Luís.

PMs estão atuando no presídio em Pedrinhas e, na primeira revista feita no lugar, apreenderam 300 armas brancas, dezenas de celulares, drogas e listas com o fluxo de negociação de drogas na cadeia. Uma das listas estava em uma bíblia.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.