SIGA O EM

Nacional

Ministério Público denuncia policiais envolvidos na morte de agente da Polícia Federal

De acordo com as investigações, o policial civil Fabiano Ponciano da Silva foi o responsável pelo tiro que causou a morte do policial federal

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/06/2012 19:39

Diário de Pernambuco

O Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco denunciou dois policiais civis à Justiça Federal nesta sexta-feira, pelo envolvimento na troca de tiros que matou Jorge Washington Cavalcanti de Albuquerque, agente da Polícia Federal, em 5 de janeiro de 2011, no Recife. De acordo com as investigações, o policial civil Fabiano Ponciano da Silva foi o responsável pelo tiro que causou a morte do policial federal e está sendo acusado de homicídio culposo, sem inteção de matar. Na ocasião, Leandro de Souza, também policial civil, disparou um tiro de pistola na direção de um motociclista, mas não conseguiu atingi-lo. Agora Leandro responderá por homicídio tentado. O crime aconteceu na BR-232, no bairro do Curado, Região Metropolitana do Recife, durante operações distintas das duas corporações para prender o mesmo traficante. Na abordagem, por não terem se reconhecido, os agentes civis e federais trocaram tiros e dois deles ficaram feridos, ambos policiais federais. Apenas um deles resistiu aos ferimentos. Para o MPF, a abordagem dos policiais civis descumpriu todos os regulamentos que disciplinam a abordagem policial de pessoas em veículos da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, atitude determinante para a morte de Jorge Washington Cavalcanti de Albuquerque. Segundo o Ministério Público Federal, Fabiano da Silva e Leandro de Souza também teriam retirado a arma do agente da PF do local do crime, devolvendo-a a Polícia Federal várias horas depois, com um disparo efetuado. Por isso, também são acusados pelo crime de fraude processual qualificada. Caso seja condenado, Leandro de Souza pode cumprir uma pena de até oito anos de prisão. Já a pena de Fabiano da Silva pode chegar a até sete anos.
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.