SIGA O EM

Padre de Mariana pede que população apoie moradores das localidades atingidas por barragens

"Faça uma visita, reze uma oração e insira-o no seu meio. O acolhimento pode ajudar a diminuir o sofrimento", pediu o padre Nedson Pereira de Assis ao final da missa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/11/2015 06:00 / atualizado em 16/11/2015 08:27

Daniel Camargos - Enviado Especial /

Rodrigo Clemente/EM/DA Press

Mariana
– A Basílica de Nossa Senhora da Assunção, mais conhecida como Catedral da Sé, no Centro da primeira cidade de Minas, estava cheia – como de costume – para a missa de ontem, às 10h. O padre Nedson Pereira de Assis aproveitou a audiência para conclamar os fiéis a acolherem os moradores dos distritos de Bento Rodrigues, Paracatu e outras localidades arrasadas pelo rompimento das barragens da Samarco (controlada pela Vale e BHP Billinton). “Fique atento se algum morador de Bento Rodrigues ou de outra comunidade foi transferido para sua rua. Faça uma visita, reze uma oração e insira-o no seu meio. O acolhimento pode ajudar a diminuir o sofrimento”, pediu o padre ao final da missa. No sábado, as duas primeiras famílias foram transferidas de hotéis para casas alugadas. Até terça-feira, outras três famílias da Pousada Conto de Minas devem ser transferidas para casas alugadas, mas a Samarco não tem prazo para transferir todas.


Ao final da missa, a pedagoga Maria José da Silva conversava com a mãe sobre o pedido do padre. “Vou procurar saber se tem alguém na vizinhança. Vou oferecer ajuda, mas acho importante não ficar falando sobre a tragédia. Eu sei que esquecer é difícil, mas eles precisam recomeçar a vida”, entende Maria José. O padre Nedson explica que os católicos buscam um ponto de apoio na fé e que padres da Arquidiocese de Mariana vão constantemente aos hotéis rezar e conversar com as vítimas do rompimento das barragens.

Para a aposentada Lucia Ramos, de 68 anos, as orações ajudam a tocar o coração das pessoas. “Com as orações podemos sensibilizar aqueles que devem arcar com os prejuízos”, crê Lucia. O auxiliar de serviços gerais Roberto Procópio, de 48, não perde uma missa de domingo na Catedral da Sé e tem rezado diariamente pelas vítimas. “Foi tudo muito triste e só Deus pode olhar por todos”, entende.

No auge do ouro

A Catedral da Sé é a primeira catedral do inteiror do Brasil. Começou a ser construída em 1713, época do auge do Ciclo do Ouro em Minas. Mariana é a primeira vila, diocese, cidade e capital de Minas. O nome é uma homenagem a Maria Ana d'Áustria, mulher do dom João V, que reinou em Portugal de 1706 a 1750. O ouro propiciou a construção da catedral e de várias igrejas.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600