SIGA O EM

Integrantes de ocupações invadem supermercado na Pampulha

Os manifestantes exigem a doação de cestas básicas do supermercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/12/2014 19:12 / atualizado em 23/12/2014 23:34

João Henrique do Vale , Gustavo Werneck , Marina Rigueira /Estado de Minas

Euller Junior/Em/D.A.Press

Integrantes de ocupações de Belo Horizonte invadiram o supermercado Via Brasil, no Bairro Itapoã, Região da Pampulha, no início da noite desta terça-feira. De acordo com o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), aproximadamente 60 pessoas participam do ato faz parte do Natal Sem Fome e Sem Miséria. O grupo protesta contra a a pobreza de algumas famílias brasileiras.

As famílias chegaram no local por volta das 18h30. Com faixas e megafones, os integrantes cantam palavras de ordem. “O ato faz parte da campanha natal sem fome e sem miséria. Queremos mostrar que mesmo com o Bolsa Família, várias famílias passam fome”, explica Leonardo Péricles, um dos líderes do movimento.

Para Péricles, as empresas também são responsáveis pela miséria. “Vamos exigir que o supermercado tenha proposta social. Eles estão faturando rios de dinheiro equanto isso milhares de famílias estão passando fome”, comentou.

Os manifestantes reivindicam a doação de 300 cestas básicas. A Polícia Militar (PM) foi acionada para conter o tumulto. Militares do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) negociam com líderes do movimento. Ainda não há informações sobre prisões.

Segundo o Tenente Ronnie, coordenador do 13º Batalhão da PM, os militares cercaram todas as saídas do supermercado. Eles orientaram os lojistas a fecharem as portas mais cedo para evitar tumultos e saques. Coforme o policial, o supermercado chegou a oferecer 50 cestas básicas. Porém, a informação foi desmentida pelo diretor comercial Cássio Guilherme, que representa o centro de compras. Segundo ele, nenhum produto foi oferecido. A PM afirmou que está atenta aos ocupantes para que nenhum saia do local com mercadorias roubadas.

Por volta das 22h, o Tenente Ronnie informou que muitos manifestantes já haviam deixado o local. "Aqueles que continuam o protesto em frente ao supermercado prometem até dormir ali para que as solicitações sejam atendidas. Os ânimos do grupo se acalmaram. Segundo o gerente, ainda não há nenhuma decisão por parte do Via Brasil", ressalta.

De acordo com a assessoria do supermercado Via Brasil, o estabelecimento fecha às 23h, mas por volta das 23h30, segundo Leonardo Péricles, um dos líderes do movimento, ainda haviam clientes sendo atendidos no local. Péricles informou que os manifestantes não vão aceitar a proposta da gerência do supermercado de 50 cestas básicas. "Queremos pelo menos duzentas cestas. Estamos em negociação pacífica com o gerente e só sairemos daqui quando a conversa avançar", salienta.

Em 2013, os integrantes do MLB fizeram uma manifestação parecida em outra centro de compras da capital. Na ocasião, o hipermercado Extra, no Bairro Santa Efigênia, Região Leste de Belo Horizonte, foi ocupado por mais de três horas. Depois de uma longa negociação, as famílias conseguiram 150 cestas básicas.

Assista ao vídeo da matéria foi enviado por um leitor por meio do WhatsApp do Estado de Minas. Se você fez um flagra ou tem uma sugestão de pauta, pode enviar para o número (31) 8502-4023.



 

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Full
Full - 24 de Dezembro às 12:26
Em estado onde a polícia não consegue dar segurança a torcedores num simples jogo de futebol, estas coisas acontecem.
 
Marcos
Marcos - 24 de Dezembro às 11:37
Li todos os comentários. Nenhum a favor desta extorsão coletiva absurda. Foi aberto um precedente no caso do Extra. Agora podemos esperar todo ano essa palhaçada. Não vi, no vídeo, nenhum deles com cara de quem está passando fome. Aliás, se estivessem não teriam forças para lá estar fazendo tanta bagunça. Concordo que é preciso maior rigor por parte da polícia.
 
Alex
Alex - 24 de Dezembro às 10:50
Detalhe que eram 60 manifestantes exigindo 300 cestas... Ou seja, estão querendo garantir até Maio. Trabalhar que é bom nada.
 
Leonardo
Leonardo - 24 de Dezembro às 09:03
Um absurdo!!! Precisamos parar de tratar situações como essa como se fossem algo normal. E não se pode, em momentos como esse, ter o sentimento de "coitadinhos", porque o que eles fizeram é um absurdo. Talvez até criminoso. Onde isso vai parar? Concordo com o Marcos: deveriam ter ido até a Prefeitura, Câmara ou Assembleia; não um estabelecimento privado, ora bolas.
 
angelo
angelo - 24 de Dezembro às 08:47
aposto que o supermercado tem 50 vagas de emprego .pergunta se eles querem
 
Marcelo
Marcelo - 24 de Dezembro às 08:45
Doação forçada?!?!?! Parece piada, invadem terreno dos outros, recebem bolsa do governo e ainda reclamam q não é suficiente!!!!! Desse jeito vou largar meu emprego tbm
 
Marcos
Marcos - 24 de Dezembro às 08:18
Eles deveriam e ter ido para a porta da Câmara e assembleia, e não a um supermercado que gera empregos e impostos, tem que acabar com esta onda de fechar ruas e invadir empresas privadas, estes tem que arrumar emprego e trabalhar para sustentar a sua familia. Muda BRASIL !!!
 
Voltaire
Voltaire - 24 de Dezembro às 07:13
Pq a PM não meteu bala nesse povo e acabou com essa baderna??? Enquanto ficarem passando a mão na cabeça desse tipo de gente e achando lindo o que eles fazem, nada vai mudar. Ontem foi o Extra, hoje é o Via Brasil, amanhã qual será??? Mete bala, põe fogo e pronto. Problema resolvido.
 
wellington
wellington - 24 de Dezembro às 07:12
Solidariedade forçada chama-se extorsão, isso é crime, quando é que este governo vai parar de apoiar a desordem neste país? Vão querer legalizar os saques também? O PT odeia a Bandeira Nacional "Ordem e Progresso", não temos ordem e nem progresso. Estes movimentos deveriam incentivar os integrantes a trabalhar como todo mundo faz e não a promover baderna. Ainda tem gente que apoia este governo, é o fim...
 
eugenio
eugenio - 24 de Dezembro às 07:10
Deviam fazer manifestação na porta da dilma, pedir pra ela o bolsa cesta de natal, bolsa Páscoa e por ai vai
 
CLAUDIA
CLAUDIA - 24 de Dezembro às 07:05
Tá cheio de emprego ai , mas assaltar em nome da pobreza é mais fácil! Para mim esse pessoal não passa de marginais que se fazem de vítima. Não sou de família rica , no entanto em minha casa todos somos trabalhadores domésticos, do comercio, da indústria. etc... Nosso avó nunca nos ensinou a ameaçar os que tem mais para satisfazer o que tínhamos de menos. Estão reclamando que o bolsa família é pouco ? Então vai trabalhar cambada de preguiçosos. Daqui apouco vão invadir agência de viagem e pedir pacotes turísticos também.Enquanto isso nosso políticos não fazem nada só colhem os votos ....
 
CLAUDIA
CLAUDIA - 24 de Dezembro às 07:00
Cambada de atoa isso sim. TA na hora das pessoas que trabalham neste país protestar contra esses vagabundos e aproveitadores. A minha família sempre trabalhou e nunca faltou nada na nossa mesa. Dinheiro pra comer eles dizem que não tem ,mas aposto que bebida e cigarros não não faltam na casa desses marginais.
 
Gilberto
Gilberto - 24 de Dezembro às 06:54
Vou organizar um grupo de amigos e invadir a Mercedes Benz e exigir para cada um uma Mercedes Benz AMG um pois no momento não temos grana para comprar uma......Ano que vem a gente parte para a BMW, depois a Audi, e assim por diante.
 
Marcos
Marcos - 24 de Dezembro às 02:55
Tá virando palhaçada isso. Exigem 200 cestas? E trabalhar, alguém dali quer?
 
Andre
Andre - 24 de Dezembro às 00:24
A tendencia é piorar se a policia não dar um basta nesses nefastos acontecimentos. Meia dúzia de pessoas sem o que fazer. Os empresários não são obrigados a dar nada. Porque não vão reclamar na porta da Dilma???Porque não protestam nas portas dos bancos querendo dinheiro.Lá sim os lucros são exorbitantes.... MUDA BRASIL!!!!CHEGA!!!CANSOU!!!!!TEM QUE PRENDER TODOS ESSES VAGABUNDOS. Pelas fotos só tem gente forte.Ninguém passando fome. Vào trabalhar cambada de a toas!!!!
 
andrea
andrea - 24 de Dezembro às 00:16
Terra invadida, comida extorquida, que mais esse bando quer? Vão trabalhar! Esse é o Brasil do PT!
 
Roberto
Roberto - 24 de Dezembro às 00:14
Porque não vão pedir a Dilma, aposto que todos eles votaram nela justamente pela bolsa família.
 
CLAUDIA
CLAUDIA - 24 de Dezembro às 12:00
Concordo plenamente. Aliás acho que eles deveriam ir, a pé, de BH a Brasilia para pedir a Dilma aumento no Bolsa família e a distribuição mensal de cestas básicas e um carro de som para eles badernarem mais, Povo atoa , bandidagem pura!! BASTA !
 
TULIO
TULIO - 23 de Dezembro às 23:44
Isso é o princípio de um arrastão. Mas deve ser em paz, afinal, BH é a melhor cidade do Brasil para se viver ...
 
marcelo
marcelo - 23 de Dezembro às 23:41
Cade mamae dilma e papai lula....eles falaram que não tem mais pobreza.
 
marcelo
marcelo - 23 de Dezembro às 23:39
Vai a pedir a mamae Dilma kkkkkkkkkkkk
 
WENDEL
WENDEL - 23 de Dezembro às 23:27
Pede pra nós não tá , vai pedir pra Dilma!!
 
Rogerio
Rogerio - 23 de Dezembro às 22:58
Bando de vagabundos. Já passou da hora de dar um basta. A Dilma não prometeu ajuda, deveriam invadir o palácio do planalto em Brasilia.
 
Pedra
Pedra - 23 de Dezembro às 22:37
Esses aí votaram no PT. Cambada de vagabundos e burros. Acham que a Bolsa Família é a solução pra tudo. O Brasil precisa crescer e fornecer emprego pra que todos possam ganhar o pão de cada dia com dignidade. A coisa vai ficar feia no país. Somente o exercito irá colocar ordem nessa bagunça que se tornou esse país... País de vagabundo petistas.
 
SAMUEL
SAMUEL - 23 de Dezembro às 22:35
Estas coisas acontecem em estado onde a polícia não cumpre o seu papel.
 
Hudson
Hudson - 23 de Dezembro às 22:23
Bando de desocupados, ao invés de trabalhar para conquistar as coisas, querem ganhar de forma fácil, se eu fosse a polícia eu sentava a ripa nas costas deste povo.
 
Bruno
Bruno - 23 de Dezembro às 22:22
Bando de vagabundos.... Será que eles pensam que a sociedade está do lado deles?? Se a PM metesse o cacete a sociedade iria aplaudir!!
 
MARCELO
MARCELO - 23 de Dezembro às 22:20
Pessoas desprovidas de valores se organizam em quadrilhas, muitas vezes comandadas por pessoas que se escondem atrás de batinas, ternos e gravatas, mas que no final das contas, são parasitas, querem viver do suor dos outros, querem casas, comidas, terras, terra até que merecem...sete palmos.
 
tatiane
tatiane - 23 de Dezembro às 22:12
Engraçado reelengem o PT e depois vão pedir cesta básica nas empresas privadas!!
 
francisco
francisco - 23 de Dezembro às 21:49
Faltai ai só a Mônica guerrilheira e o 9 dedos. tudo farinha do mesmo saco não vale nada!
 
francisco
francisco - 23 de Dezembro às 21:47
Essa turma é estranha não estava tudo muito bem? quem tem que dar comida para esses ai é a Dilma. A polícia tinha é que acabar com a farra e malandragem. E bem lembrado pelo colega ai em baixo essa turma é a mesma que invadiu o Extra. Cambada de parazzzz....
 
Júlio
Júlio - 23 de Dezembro às 21:37
Invasao de propriedade particular. Supermercado nao e casa de caridade, trabalha para ter lucro, nao tem que distribuir cesta basica obrigado a ninguem, ainda mais para uma aglomeracao de vagabundos. Se alguem chegar e oferecer um emprego com salario minimo, nao vao aceitar, porque sao vagabundos mesmo. Daqui a pouco, vao invadir casas sob pretexto de nao ter onde morar, procurem os ptralhas
 
Fernando
Fernando - 23 de Dezembro às 21:35
Isso é um absurdo. Onde estes arruaceiros irão chegar? É caso de polícia e deveriam ser enquadrados dentro da lei, sem benesses das autoridades. Caso sejam concedidas cestas básicas irão fazer invasões em outros estabelecimentos para obter comida, roupas e outros bens acessíveis a quem trabalha e, com sacrifício, os obtém. Aplicação adequada dos recursos obtidos com impostos, desenvolvimento e geração de empregos, fim da doação indiscriminada de bolsas esmolas, redução dos salários dos políticos são medidas que poderão mudar esta situação. Fernando Araujo de São Paulo.
 
Fernando
Fernando - 23 de Dezembro às 21:34
Isso é um absurdo. Onde estes arruaceiros irão chegar? É caso de polícia e deveriam ser enquadrados dentro da lei, sem benesses das autoridades. Caso sejam concedidas cestas básicas irão fazer invasões em outros estabelecimentos para obter comida, roupas e outros bens acessíveis a quem trabalha e, com sacrifício, os obtém. Aplicação adequada dos recursos obtidos com impostos, desenvolvimento e geração de empregos, fim da doação indiscriminada de bolsas esmolas, redução dos salários dos políticos são medidas que poderão mudar esta situação. Fernando Araujo de São Paulo.
 
Flávio
Flávio - 23 de Dezembro às 21:27
Com certeza esses "vagabundos" tem o apoio dos Movimentos Sociais. Ridículo!!! Paizinho horrível onde é correto não trabalhar, invadir terreno dos outros, obrigar empresa dar comida de graça para eles. Trabalhar ninguém quer, mas bolsa família e fazer baderna, isso eles querem com apoio dos Movimentos Sociais e do PT da Dilma. Ridículo!!!!! Vai pedir a Dilma lá em Brasília bando de a toas... Vai pedir ao Pimentel também!
 
Leandro
Leandro - 23 de Dezembro às 21:15
Neste mesmo supermercado tem vários anúncios oferecendo emprego. Acho que uma proposta boa seria o supermercado fazer o cadastro de todos e empregá-los. Apesar que, se essa proposta surgir, vão todos sair de fininho. Porque, com certeza, trabalhar é o que menos eles gostam de fazer.
 
Sergio
Sergio - 23 de Dezembro às 21:12
Dinheiro para comprar megafone eles tem. Nestas horas dá vontade de voltar à Ditadura Militar. Nesse momento a polícia em lugar de ficar só olhando estaria "distribuindo" porretada no lombo deles.
 
Nilson
Nilson - 23 de Dezembro às 21:05
Culpa do PT.
 
Jones
Jones - 23 de Dezembro às 21:02
Tenho certeza de que 100% destes que estão ai votaram no continuísmo só pra garantir a bolsa família, e agora eles vem dizer que não podem viver só disto. Tomem vergonha na cara, vão trabalhar e aprendam a votar direito.
 
eduardo
eduardo - 23 de Dezembro às 20:55
Não sei onde esse país vai parar desse jeito. Invadem terreno particular. Ameaçam os donos dos supermercados , extorquindo cestas basicas. Daqui a pouco estão invadindo as concesionaria querendo carros , e por ai vai . A policia coitada é chamada mas não pode agir , pois os "direitos dos manos" protegem essa gente. Esse é o Brasil do pt. Precisamos de mudar isso , urgente!
 
alexandre
alexandre - 23 de Dezembro às 20:51
Este mesmo grupo já invadiu o próprio Extra no final do ano passado no bairro Santa Efigênia exigindo 300 Cestas Básicas e após negociações conseguiram 150. Agora estão de volta! Não demora váo estar invadindo lojas de eletrodomésticos , materiais de construções entre outros. Hoje em dia basta vestir uma camisa vermelha e colocar um "MS" (Movimento dos Sem).
 
Igor
Igor - 23 de Dezembro às 20:46
Por que esses vagabundos não vão trabalhar?
 
fernando
fernando - 23 de Dezembro às 20:35
Era só o que faltava !!!!!! a coisa tá ficando feia !!!!!! vai virar uma Venezuela, não demora !!!!!!
 
André
André - 23 de Dezembro às 20:16
Invasão de supermercado? Proposta social??? O QUE A PM ESTÁ ESPERANDO PRA ACABAR COM A FOLGA DESSES VAGABUNDOS? Já não bastasse terem atrapalhado o trabalho de milhares de pessoas hoje pela manhã, quando fecharam o anel, agora vão invadir supermercado? Se ver um negócio desse na minha frente eu mesmo me encarrego de dar umas porradas no líder desses vagabundos! Quem vai acabar com isso?
 
luis
luis - 23 de Dezembro às 20:07
Trabalhar que é bom, nada.......