O Irã utiliza grupos criminosos para cometer atos violentos na Suécia contra os interesses de Israel e "outros Estados", afirmaram os serviços de segurança suecos Säpo nesta quinta-feira (30).

A declaração ocorre duas semanas depois que tiros "suspeitos" foram efetuados perto da embaixada de Israel em Estocolmo, segundo a polícia.  

E em fevereiro, um "objeto ativo" foi encontrado na sede diplomática, o que levou o embaixador israelense a citar uma "tentativa de atentado".

"O regime iraniano utiliza redes criminosas na Suécia para cometer atos de violência contra outros Estados" em território sueco, declararam os serviços de inteligência em comunicado, afirmando que os alvos são os "interesses, objetivos e atividades israelenses e judaicos" neste país europeu.  

"O Irã recorreu à violência em outros países da Europa para tentar silenciar vozes críticas e supostas ameaças contra seu regime", acrescentou o Säpo, citando ainda que "indivíduos muito jovens, incluindo crianças, podem ser usados para cometer crimes" na Suécia.

Em coletiva de imprensa, o chefe dos serviços de inteligência suecos, Daniel Stenling, afirmou que "o conflito regional se expandiu a uma escala mundial", afirmando que a Suécia é um território vulnerável a estas investidas.

po-ef/am/eg/mb/yr/aa