UAI
Publicidade

CORPUS CHRISTI

Motoristas enfrentarão bloqueios nas estradas mineiras durante o feriado

Motoristas enfrentarão bloqueios nas estradas mineiras durante o feriado

saúde

Estudo relaciona tatuagem ao risco de câncer; saiba mais

Estudo relaciona tatuagem ao risco de câncer; saiba mais

máfia mineira

Viúva é condenada por morte de marido 13 anos depois de crime

Viúva é condenada por morte de marido 13 anos depois de crime

Publicidade
Publicidade
LEIA MAIS EM COLUNISTAS
ESPAÇO DO LEITOR

“Tenho acompanhado com grande interesse a polêmica que envolve a Filarmônica de Minas Gerais. Lembrei-me de quando da execução de um concerto em que tocaram uma adaptação popularesca de Mozart e uma senhora da plateia, muito irritada com aquilo, gritou: ‘Não mexam no meu Mozart!’. Hoje, nós frequentadores da Sala Minas Gerais gritamos com todo o vigor: ‘Não mexam na nossa Filarmônica!’. Os concertos são um antídoto para a poluição sonora que reina em Belo Horizonte, particularmente onde os botecos têm licença para músicas ao vivo de péssima qualidade, que somos obrigados a ouvir, sem tê-las pedido. Tenho para mim que nossa capital é privilegiada com um dos melhores programas para acalentar a alma a baixo custo: ser assinante da Filarmônica. Faltou sensibilidade ao governador Zema, a quem admiro, e espero e torço para que a decisão seja revertida.”

Kleber Pereira Gonçalves
Belo Horizonte


“Sendo certo que as comodities agrícolas têm enorme peso na nossa balança comercial, é de se louvar a importância dos órgãos de pesquisa tecnológica aplicadas ao campo, como Emater e Embrapa, para o incremento do binômio qualidade/produtividade. Assim, cada vez mais o Brasil se credencia como celeiro do mundo. Todavia, uma “melhoria” não me agrada: foi o que fizeram com o limão! Nas gôndolas dos sacolões e supermercados encontramos belos limões, enormes, pesando mais de 100 gramas, mas sem gosto, insossos! Ontem, saudoso do limão/limão, fui ao Mercado Central para comprá-lo. Achei-o em duas bancas: pequeninos, amarelinhos, cheios de caroços, mas saborosos! Com eles, “temperei” o meu abacate. Uma delíciaquando! voltava para casa, vim questionando: o que foi feito das laranjas bahia, campista e seleta? Será que todas elas viraram pera Rio?”

Tarcísio Pinto Ferreira
Nova Lima/Mg


"A esquerda é competente para engendrar manobras diversionistas. Para obnubilar a crise na saúde, a fuga dos presos em Mossoró e a falsa denúncia de roubo dos móveis do Alvorada, prenderam os responsáveis pelo assassinato de Marielle depois de 6 anos e 10 dias. O supremo ministro Lewandowski declara: 'Uma vitória do estado brasileiro', conforme capa do Estado de Minas de ontem, 25/3. Como pode dizer isso sem corar? Estão envolvidos políticos e, pasmem, o diretor da Polícia Civil do Rio, o que caracteriza uma derrota do estado brasileiro. É a tentativa de ludibriar nosso sofrido povo sabendo que ele acredita nas narrativas fajutas. O caso Marielle fedeu esse tempo todo e foi explorado ao extremo na tentativa de envolver Bolsonaro e sua família."

Kleber Pereira Gonçalves
Belo Horizonte


LEIA MAIS EM ESPAÇO DO LEITOR
Publicidade

CHARGES

VEJA MAIS