Publicidade

Estado de Minas NISSAN FRONTIER S 2.3 DIESEL 4X4

Simplicidade focada no trabalho

Versão de entrada da picape feita na Argentina tem acabamento espartano e o espaço interno é apenas razoável, mas agrada pelo desempenho. O preço não é dos menores


22/08/2020 04:00 - atualizado 22/08/2020 09:30

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Aqueles que procuram uma picape que tenha a dupla função de carro da família e instrumento de trabalho encontram no mercado um leque diferenciado de opções. A escolha depende sempre do tanto que se quer (ou se pode) gastar e da real necessidade de espaço na caçamba. Atualmente, os preços das compactas subiram muito e os das intermediárias se aproximaram das médias, confundindo a cabeça do consumidor. A Nissan comercializa no Brasil a Frontier em quatro versões, todas em cabine dupla, com preços que vão de R$ 158.390 a R$ 218.990. Testamos a versão de entrada, que tem proposta voltada para o trabalho, mas atende também àqueles que querem uma picape para a família e não exigem sofisticação no acabamento e nem um pacote de conteúdo recheado.
 
Lanternas traseiras têm lâmpadas halógenas e a tampa da caçamba tem tranca (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Lanternas traseiras têm lâmpadas halógenas e a tampa da caçamba tem tranca (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A Nissan Frontier tem participação tímida no segmento de picapes médias. No acumulado dos sete primeiros meses deste ano, o modelo teve pouco mais de 4 mil unidades emplacadas, enquanto a líder do segmento, a Toyota Hilux, somou 16.651 unidades vendidas. Mas isso não significa que a Frontier não tenha suas qualidades. A picape chega no Brasil vinda da Argentina e não traz no visual o seu mais forte atrativo.
 
A versão de entrada, a S2.3, é ainda mais simples, trazendo uma moldura cinza no entorno da grade e faróis halógenos. Não tem sequer os faróis de neblina e o para-choque não tem gancho para reboque. A tampa do capô é pesada e sustentada por vareta, mas traz isolamento térmico. A versão não tem estribos nas laterais, dificultando o acesso ao interior, principalmente porque do lado do motorista não tem a alça de auxílio. A alça está presente somente do lado do passageiro. A picape também não tem rack de teto e as lanternas traseiras são verticais e halógenas.

Unidade testada estava com capota marítima, mas sem proteção na caçamba(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Unidade testada estava com capota marítima, mas sem proteção na caçamba (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
CAÇAMBA A tampa da caçamba também é pesada, mas conta com tranca. Na versão de entrada, a caçamba não tem proteção de plástico e traz apenas quatro argolas, duas de cada lado, para a amarração da carga. A unidade testada estava com capota marítima (que não é de série), pouco prática se a picape for usada para o trabalho. O vidro traseiro não tem janela e nem grade de proteção. O espaço na caçamba é de bom tamanho, mas a capacidade de carga de 1.005 quilos não é a maior do segmento, lembrando que ela engloba o peso dos passageiros e da bagagem.
 
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Por dentro, a Frontier tem espaço apenas razoável. Os bancos dianteiros são pequenos, mas contam com abas laterais no assento e no encosto. O do motorista conta com ajuste de altura. Atrás, o espaço para as pernas é bom e o assoalho plano favorece para quem senta no meio. Mas o banco tem o assento curto e baixo e não apoia bem as pernas, e quem vai no meio é incomodado pelo apoio de braço embutido no encosto do banco. Mas os passageiros de trás têm a seu favor a saída de ar-condicionado e os três apoios de cabeça e cintos de segurança retráteis de três pontos para todos, além de Isofix para fixação de cadeiras infantis.
 
Banco traseiro com assento curto e baixo é desconfortável (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Banco traseiro com assento curto e baixo é desconfortável (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A picape traz vidros elétricos nas quatro portas e retrovisores com comandos elétricos. No acabamento interno, o plástico duro predomina, porém, aparenta ser de boa qualidade, assim como o tecido que reveste os bancos. Tapetes de borracha reforçam o lado prático da picape. O painel é simples e não tem sequer um rádio, mas dentro do nicho que fica no console tem uma entrada USB para carregamento do celular. 
 
O ar-condicionado é convencional e o painel traz instrumentos analógicos, além de uma tela digital com as informações do computador de bordo e indicação da tração escolhida. O volante só tem ajuste de altura e não traz comandos.
 
Motor 2.3 turbodiesel proporciona desempenho satisfatório(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Motor 2.3 turbodiesel proporciona desempenho satisfatório (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
O controle de tração e estabilidade é de série e a picape traz um botão giratório com as opções de tração 4x2, 4x4 e 4LO (reduzida), e bloqueio eletrônico do diferencial. E para quem pretende usá-la no fora de estrada, a Frontier S conta com controle automático de descida e sistema de auxílio de partida em rampa, ambos providenciais em pisos escorregadios.
 
DIRIGINDO O motor que equipa a Frontier S é o conhecido quatro cilindros de 2.3 litros, turbo, que desenvolve 160cv e 41kgfm de torque. Embora tenha potência menor do que o mesmo motor que equipa as versões superiores, essa versão já apresenta bom torque a partir das 1.500rpm. A picape se mostra ágil nas arrancadas, além de garantir retomadas de velocidade seguras. Mas quando o giro sobe, o motor se torna ruidoso. O câmbio da versão é manual de seis velocidades, com bons engates no geral, exceto pela ré, que exige mais atenção. O curso da alavanca é longo, causando certo desconforto. As relações de marchas foram bem escalonadas, livrando o motorista de ficar fazendo trocas constantes. Na estrada, em sexta marcha, é possível seguir viagem por longo trecho em velocidade de cruzeiro, sem precisar reduzir. O computador de bordo registrou consumo de 11km/l em percurso misto de cidade e estrada.
 
No quesito suspensões, a Nissan fez um arranjo de duplos braços na dianteira e “tipo” multilink na traseira, com eixo rígido. Na prática, a picape apresenta boa estabilidade, desde que não se abuse em curvas, já que a altura elevada em relação ao solo favorece a inclinação da carroceria. Além disso, as suspensões transferem para o interior da cabine as irregularidades do solo, fazendo a picape pular muito. A direção tem assistência hidráulica, deixando o volante um pouco pesado nas manobras de estacionamento. O sistema de freios traz discos na frente e tambores na traseira, e funcionou de forma eficiente com o auxílio da eletrônica.

CONCORRENTES Vendida por R$ 158.390, a Nissan Frontier S 2.3 tem preço que se aproxima das versões intermediárias da Fiat Toro, que se situa em segmento inferior. Entre as picapes médias com cabine dupla, a Frontier S só não é mais cara do que a Chevrolet S10 LS 2.8 diesel 4x4, que tem motor de 200cv e 44,9kgfm de torque, além de ser mais equipada, e custa R$ 169.200. Já a Ford Ranger XL 2.2 diesel 4x4, com câmbio manual, é vendida por R$ 150.890 e vem equipada com motor de 160cv e 39,2kgfm de torque, também com pacote de itens de série melhor do que o da Frontier.

 
A Toyota Hilux STD Power Pack 4x4 tem motor 2.8 a diesel de 177cv e 42,8kgfm de torque, também com câmbio manual e tração 4x4, por R$ 152.790. A Mitsubishi L200 Triton Outdoor GLX, equipada com motor 2.4 a diesel, de 190cv e 43,9kgfm de torque, com câmbio manual de seis marchas, é vendida por R$ 152.990. As duas últimas têm pacotes de itens de série semelhantes aos da Frontier.
 
FICHA TÉCNICA

» MOTOR (*)
Dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 2.298cm³ de cilindrada, turbodiesel, que desenvolve potência máxima de 160cv a 3.750rpm e torque máximo de 41kgfm a 1.500rpm

» TRANSMISSÃO (*)
Tração traseira, com opção de 4x4 e reduzida, e câmbio automático de seis marchas

» SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS (*)
Dianteira, independente, Double-wishbone; traseira, multilink com molas helicoidais/16 polegadas (liga leve)/255/70 R16

» DIREÇÃO (*)
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

» FREIOS (*)
A disco ventilados na frente e tambores na traseira, com ABS e EBD

» CAPACIDADES (*)
Tanque, 80 litros; capacidade de carga (passageiro e carga), 1.005kg

» DIMENSÕES (*)
Comprimento, 5,26m; largura, 1,85m; altura, 1,82m; distância entre-eixos, 3,15m; e altura em relação ao solo, 23cm

» MEDIDAS DA CAÇAMBA (*)
Comprimento, 1,51m; largura, 1,56m; altura, 47,3cm

» ÂNGULOS (*)
De ataque, 30,3 graus; de saída, 27,4 graus; de inclinação máxima em subida, 23,2 graus

» PESO (*)
2.030 quilos

» PERFORMANCE (*)
Velocidade máxima de 180km/h
Aceleração até 100km/h em 13,5 segundos

» CONSUMO (**)
Cidade, 9,3km/l
Estrada, 10,2km/l

(*) Dados do fabricante
(**) Dados do Imnetro

» EQUIPAMENTOS:

» De série – Faróis com máscara negra, maçaneta da caçamba cromada, moldura da porta cromada, para-choque frontal na cor do veículo, para-choque traseiro preto, protetor de motor, retrovisores externos pretos com ajuste elétrico e rebatimento manual, bloqueio de diferencial eletrônico (ABLS), ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA), quatro ganchos de amarração interna da caçamba, ganchos para reboque dianteiro, luz de freio de LED (brake light), antena de teto, abertura da tampa de combustível por acionamento interno, apoio de braço traseiro com suporte para dois copos, ar-condicionado manual com filtro de pólen, desembaçador traseiro com temporizador, escurecimento manual dos retrovisores, limpador do para-brisas com controle intermitente variável, painel de instrumentos analógico, porta-luvas com trava, saídas do ar-condicionado para o banco traseiro, seleção de tração por botão rotativo, tomada de 12V, uma entrada USB, vidros elétricos com função "um toque" para o motorista, volante com ajuste de altura manual, dois airbags, alarme com sistema imobilizador, alças de auxílio para entrada no veículo, três cintos de segurança traseiros de três pontos, controle automático de descida (HDC), controles de tração e estabilidade (VDC – Vehicle Dynamic Control) e sistema de auxílio de partida em rampa (HSA)

» OPCIONAL
Pintura metálica

» Quanto custa?
A Nissan Frontier S 2.3 4x4 com câmbio manual tem preço sugerido de R$ 158.390

NOTAS (0 a 10)

Desempenho 8
Espaço interno 7
Caçamba 8
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 7
Itens de série/opcionais 6
Segurança 6
Estilo 7
Consumo 8
Tecnologia 7
Acabamento 8
Custo/benefício 7 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade