Publicidade

Estado de Minas FORD KA 1.0 FREESTYLE

O Ka ainda dá caldo?

Compacto foi o escolhido para disputar em um segmento cada vez mais %u2018premium%u2019. Com a chegada de concorrentes renovados, modelo consegue manter seu volume de vendas?


postado em 14/09/2019 04:00

(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)


O mês de setembro foi o mais esperado do ano, com o lançamento de modelos de extremo sucesso, como o Toyota Corolla, o Chevrolet Onix Plus (em que o campeão de vendas Onix também foi apresentado) e o Hyundai HB20, o segundo mais vendido, na próxima semana. Com a chegada do Ford Ka 1.0 Freestyle à redação para nossa avaliação, muito mais que os pontos positivos e negativos da versão aventureira, a principal questão passou a ser: esste modelo está preparado para enfrentar Onix e HB20 renovados no pódio dos três mais vendidos do Brasil?
 
Visual aventureiro tem molduras plásticas nas caixas de roda, rack de teto, além de retrovisores e rodas em grafite(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Visual aventureiro tem molduras plásticas nas caixas de roda, rack de teto, além de retrovisores e rodas em grafite (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
 
 
Herdeiro da linguagem Kinetic, que estreou no Fusion 2013, o design do Ka ainda agrada. Os novos Chevrolet Onix e Hyundai HB20 estão se atualizando conforme o DNA de suas marcas, mas não chegam a revolucionar nesse quesito. Quanto ao espaço interno, o compacto da Ford fica devendo aos novos concorrentes. Com 2,49 metros de distância entre-eixos e 257 litros no porta-malas, ele fica abaixo do novo Onix, que passa a ostentar 2,57m e tem chance de ter os 280 litros do compartimento de carga ampliados, e HB20, com 2,53m e 300 litros.
 
Para transpor obstáculos urbanos, a altura em relação ao solo é de 18,8 centímetros(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Para transpor obstáculos urbanos, a altura em relação ao solo é de 18,8 centímetros (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
 
 
Quanto ao conjunto mecânico, os três modelos trazem como opção de entrada motores 1.0 de três cilindros (a Chevrolet foi a última a se juntar à turma). A diferença é a motorização das versões mais caras. Enquanto HB20 e Onix atacam de 1.0 com turbo, o Ka responde com 1.5 aspirado. Além da economia de combustível, a resposta imediata dos motores turbo costumam agradar mais ao motorista. Aqui o Ka parece ter uma desvantagem. Vale lembrar que o Fiesta tinha opcão de motor 1.0 turbo.
 
No conteúdo, o Onix democratizou a segurança agregando seis airbags, assistente de partida em rampa e controle de tração e estabilidade na versão de entrada, a partir de R$ 48.490. O Ka vai na contramão, e chegou a depenar várias versões, oferecendo quatro airbags, assistente de partida em rampa e controle de tração e estabilidade a partir da versão 1.5 Freestyle AT, que custa R$ 68.390. A chave presencial está presente no Onix em versão que custa R$ 60.990, o que no Ka está disponível a partir de R$ 68.990. O Onix ainda oferece assistente de estacionamento e alerta de ponto cego em pacote mais caro. Ainda não se sabe qual será todo o conteúdo do novo HB20, mas quatro airbags são de série. O coreano também vai oferecer itens como chave presencial, alerta de colisão dianteira com frenagem automática, controle de tração e estabilidade.
 
Além do aplique em marrom, painel traz tela tátil flutuante de sete polegadas(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Além do aplique em marrom, painel traz tela tátil flutuante de sete polegadas (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
 
 
A tendência é que os compactos briguem por faixas do mercado mais amplas, seja pela oferta de dois modelos ou apenas um com várias versões e motorizações. Pelo menos por enquanto, a Ford está fora desse movimento, já que precisou enxugar sua linha tirando o Fiesta (e o Focus) de linha, mas será que não era esse modelo que poderia ocupar um espectro maior na gama da marca? O fabricante está apostando na onda dos SUVs – oferecendo atualmente o EcoSport e o Edge ST, o médio Territory já foi confirmado e ainda se fala no Escape –, mas, se a aposta no Ka como modelo de volume falhar, o que vai ser da montadora?
 
DIRIGINDO O AVENTUREIRO Há anos os fabricantes lançam versões aventureiras de seus modelos. A partir da compreensão de que se trata de apenas de uma opção com visual diferenciado (com raríssimos exemplos de itens que agregam algum efeito prático, como o sistema Locker da Fiat ou pneus de uso misto), acabou-se o embate e a cobrança a respeito de uma boa performance no fora de estrada; afinal de contas, a maioria dos SUVs também não entrega isso.
 
No caso do Ford Ka 1.0 Freestyle que testamos, a altura elevada em relação ao solo (18,8cm) ajuda mesmo a superar os obstáculos urbanos, como quebra-molas, rampas de garagem e buracos. Aliás, a suspensão é um dos pontos fortes do modelo, se destacando pelo conforto e estabilidade, o que é um desafio para os veículos altinhos.
 
O visual também é um dos apelos da versão, com as clássicas molduras plásticas nas caixas de roda, rack de teto e apliques em plástico cinza na porção inferior dos para-choques. Os retrovisores e as rodas de 15 polegadas são pintados em grafite. As rodas calçam pneus “normais”, não mistos, o que contribui para o conforto e aderência no asfalto. Faróis e lanternas trazem lentes escurecidas.
O acabamento da versão também é diferenciado, com os revestimentos das colunas e do teto em preto. O painel tem um grande aplique em plástico marrom, que se estende pelo console central. Os bancos mesclam tecido e couro. Os tapetes são de borracha, em formato de bandeja. O espaço interno é bom para quatro ocupantes, e o porta-malas tem espaço condizente com a proposta de compacto. Falta maçaneta na tampa do porta-malas, que pode ser aberto apenas por botão na cabine ou na chave canivete. Apesar de ser bem-acabado, não há iluminação no compartimento de carga.
 
O comportamento de um modelo com motor 1.0 deve ser avaliado principalmente na cidade, que é o seu hábitat. Além do consumo baixo, o que se busca é um acerto entre motor e câmbio que proporcione um desempenho mais elástico, ou seja, que não obrigue você a trocar marchas a todo instante. Infelizmente, o Ka não chega a ser uma referência nesse quesito, exigindo o sobe e desce de marchas conforme o relevo das ruas. Como todo 1.0, na estrada é necessário subir os giros do motor para realizar ultrapassagens e retomadas, mas, depois de embalado, o veículo segue “feliz”. Os engates de marchas são curtos e precisos.
 
Entre os itens de série, destaque para ar-condicionado, sistema multimídia com tela tátil de sete polegadas e conexão com smartphone (Apple CarPlay e Android Auto), faróis de neblina, retrovisores com ajustes elétricos, assistente de partida em rampa, controle de tração e estabilidade, sistema anticapotamento, computador de bordo, sensor de estacionamento traseiro e banco do motorista com ajuste de altura.
 
 
FICHA TÉCNICA

» MOTOR
Dianteiro, transversal, três cilindros em linha, 997cm³ de cilindrada, 12 válvulas, flex, que desenvolve potências de 80cv (gasolina) e 85cv (etanol) a 6.300rpm e torques de 10,2kgfm a 3.500rpm (g) e 10,7kgfm a 4.500rpm

» TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas

»SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, tipo McPherson; traseira, com eixo de torção/de liga leve de 14 polegadas/185/60 R15

» DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

» FREIOS
A discos sólidos na dianteira e tambores na traseira, 
com ABS

» CAPACIDADES
Do porta-malas, 257 litros; do tanque, 51 litros; peso em ordem de marcha, 1.081kg; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 379kg

» DIMENSÕES
3,95m de comprimento; 1,69m de largura; 1,56m 
de altura; e 2,49m de entre-eixos

» CONSUMO
Na cidade, 13,4km/l (g) e 9,2km/l (e); na estrada, 15,5km/l (g) e 10,7km/l (e)

» QUANTO CUSTA
O Ford Ka 1.0 Freestyle é vendido a partir de R$ 56.690.

Notas (0 a 10)

Desempenho. . . . . . . . . . 7
Espaço interno. . . . . . . . . 7
Porta-malas. . . . . . . . . . 7
Suspensão/direção. . . .  8
Conforto/ergonomia. . .  7
Itens de série/opcionais. . 7
Segurança . . . . . . . . . . . .  8
Estilo . . . . . . . . . . . . . . . . . .8
Consumo . . . . . . . . . . . . . . 8
Tecnologia . . . . . . . . . . . . . 6
Acabamento. . . . . . . . . . .  7
Custo/benefício. . . . . . .  .  7 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade