Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Os mais baratos de ontem e de hoje

Imagine pagar mais de R$ 60 mil por um VW Fusca zero. Pois esse seria o valor corrigido do compacto e de outros %u201Cpopulares%u201D vendidos na década de 1990. Mais caros que os atuais


postado em 29/06/2019 04:11

O compacto da Volkswagen voltou a ser produzido em 1994 a pedido do então presidente Itamar Franco(foto: Volkswagen/Divulgação)
O compacto da Volkswagen voltou a ser produzido em 1994 a pedido do então presidente Itamar Franco (foto: Volkswagen/Divulgação)



O carro no Brasil é muito caro ou o brasileiro ganha pouco? Os preços são altos pela incidência de muitos impostos ou por que a margem de lucro das montadoras é exagerada? São perguntas que o consumidor brasileiro não cansa de repetir, mas nem sempre encontra resposta convincente. Na década de 1990, o governo estimulou o lançamento do “carro popular”, modelos com pouco conteúdo, motor 1.0, IPI praticamente zerado e preços de cerca de R$ 7.500. Se o valor fosse corrigido pelo INPC, que mede a inflação, atualmente esses carros custariam mais de R$ 60 mil. Bem mais caros que os “populares” de hoje, que têm preços na faixa dos R$ 30 mil.


Para entender essa dança dos preços dos carros mais baratos no Brasil é preciso voltar a 1993, quando o então presidente Itamar Franco assinou o protocolo do carro popular, que reduzia o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para simbólico 0,1% para os modelos equipados com motor 1.0. As exceções eram apenas os Volkswagen Fusca e Kombi e o Chevrolet Chevette, todos equipados com motor 1.6. Os modelos menores deveriam ter preços em torno de R$ 7.500 ou US$ 7.200.


Então, em 1994, alguns modelos foram agraciados com o benefício da redução do IPI. O VW Fusca 1600, “ressuscitado” pelo presidente Itamar Franco, tornou-se o carro mais barato do Brasil, com preço de R$ 6.743. Depois dele, os mais em conta eram o VW Gol 1000 (R$ 7.243), o Fiat Uno Mille Electronic (R$ 7.254), o Chevrolet Corsa 1.0 (R$ 7.350) e o Ford Escort Hobby 1.0 (R$ 7.386). Eram carros espartanos, com acabamento e mecânica bem simples, e desprovidos de equipamentos.
Vale lembrar que, em 1994, um dólar valia pouco menos que um real e o salário mínimo era de (pasmem!) R$ 70. Ou seja, para comprar um Fusca na época era preciso cerca de US$ 7.173 ou 96 salários mínimos. Mas se o preço do Fusca for corrigido pelo INPC acumulado de julho de 1994 até maio deste ano, aplicando o índice de 9,2201, o modelo custaria atualmente (se ainda fosse produzido) R$ 66.882,61.


Mas apesar da incidência absurda de impostos sobre o preço dos automóveis no Brasil (mais de 40%), não é bem essa a realidade dos carros populares atuais. O modelo mais barato comercializado no país hoje é o Chery QQ Smile, que no site do representante da marca aparece com o preço de R$ 24.990 para a unidade 2018/2018. O detalhe é que dificilmente o consumidor vai encontrar esse carro para comprar. Até o 2018/2019, por R$ 27.490, é difícil de achar. O preço que vem sendo praticado para o Chery QQ Smile 2019/2019 é de R$ 29.690.


Com o dólar a R$ 3,83, o Chery QQ Smile tem preço de US$ 7.751,95, ou seja, próximo ao valor estipulado na época do carro popular. E com o salário mínimo a R$ 998, é necessário trabalhar cerca de 29 meses para levar o chinesinho pra casa (na hipótese de gastar todo o dinheiro do salário na compra do carro). De qualquer forma, é bem menos do que os 96 salários mínimos que eram necessários para comprar o Fusca em 1994.


Mas, além do Chery QQ, o mercado brasileiro ainda tem outros dois modelos de entrada que estão entre os mais baratos. Um deles é o Fiat Mobi Easy 1.0, com câmbio manual, que tem preço sugerido de R$ 32.990. O outro, o Renault Kwid Life 1.0 12V, por R$ 33.290. O modelo da Fiat tem preço de US$ 8.613 e vale 33 salários mínimos. Já o compacto da Renault, US$ 8.691 e 33,3 salários mínimos. Vale lembrar que, se os valores estão um pouco diferentes do passado, a fórmula continua a mesma. São carros simples, com poucos recursos e acabamento de baixa qualidade. São opções para quem quer gastar pouco para ter um carro zero.

 

    MODELO     PREÇO EM 1994     ÍNDICE DE CORREÇÃO     VALOR CORRIGIDO

 

Fiat Uno Mille Eletronic     R$ 7.254     9,2201     R$ 66.882,61
Chevrolet Corsa 1.0     R$ 7.350     9,2201     R$ 67.767,74
VW Fusca 1600     R$ 6.743     9,2201     R$ 62.171,13
VW Gol 1000     R$ 7.243     9,2201     R$ 66.781,18

 

 

CHERY QQ SMILE 1.0 - l CHERY QQ SMILE 1.0 - R$ 29.690

Potência: 74cv (gasolina) e 75cv (etanol)
Torque:  10,1kgfm (g) e 9,7kgfm (e)
Peso: 940 quilos
Comprimento: 3,56m; largura, 1,62m; altura, 1,52m; entre-eixos, 2,34m
Porta-malas: 160 litros
Transmissão: manual de cinco marchas

EQUIPAMENTOS:
Airbags para motorista e passageiro dianteiro
Cintos de segurança traseiros laterais de 3 pontos
Freios ABS + EBD
Imobilizador eletrônico para o motor
Sinal luminoso de advertência para portas abertas
Brake light
Isofix
Vidros dianteiros elétricos
Banco traseiro com encosto rebatível
Rádio AM/FM e USB
Para-sol dianteiro com espelho (passageiro)
Ajuste elétrico de altura dos faróis
Painel de instrumento digital
Computador de bordo com consumo instantâneo
Abertura do porta-malas por alavanca interna
Rodas de aço com calotas

 

 

FIAT MOBI EASY 1.0 MANUAL R$ 32.990

Potência: 73cv (g) e 75cv (e)
Torque: 9,5kgfm (g) e 9,9kgfm (e)
Peso: 907 quilos
Comprimento, 3,56m; largura, 1,63m; altura, 1,49m; entre-eixos, 2,30m
Porta-malas: 235 litros
Transmissão: manual de cinco marchas

EQUIPAMENTOS
Banco traseiro rebatível com duas posições para o encosto
Brake light
Cintos de segurança laterais traseiros retráteis de três pontos
e central fixo de dois pontos
Console central parcial com porta-copos
Drive by Wire (Controle eletrônico da aceleração)
ESS (Sinalização de frenagem de emergência)
Espelho no para-sol para motorista e passageiro
Faróis com máscara negra
Airbag duplo e freios ABS com EBD
Lane Change (função auxiliar para acionamento das setas indicando troca de faixa)
Porta-malas com tapete em carpete
Quadro de instrumentos com iluminação em LED e display digital (indicador de
troca de marchas e computador de bordo
Rodas de aço estampado com calotas integrais
Pneus com baixa resistência à rolagem

 

 

RENAULT KWID LIFE 1.0 12V MANUAL -  R$ 33.290



Potência: 66cv (g) e 70cv (e)
Torque: 9,4kgfm (g) e 9,8kgfm (e)
Peso: 758 quilos
Comprimento: 3,68m; largura, 1,57m; altura,
1,47m; entre-eixos, 2,42m
Porta-malas: 290 litros
Transmissão: manual de cinco marchas

EQUIPAMENTOS
Tomada 12V
Ar-quente
Banco rebatível 1/1
Alerta sonoro e visual do uso do cinto de segurança
do motorista e passageiro
Freios ABS
Cinto de segurança central traseiro subabdominal
Dois airbags dianteiros e dois laterais
Sistema imobilizador do motor
Dois pontos Isofix
Indicador de troca de marcha
Desembaçador do vidro traseiro

 

 

 


Publicidade