Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Detalhes que condenam

Comprar carro usado exige atenção e não é preciso ser especialista para identificar alguns possíveis problemas. Saiba como evitar transtornos antes de fechar o negócio


postado em 18/05/2019 04:13



Comprar carro usado não é tarefa das mais fáceis, principalmente quando não se conhece a procedência do veículo. Um leigo normalmente encontra mais dificuldades para identificar os problemas, mas com paciência e cuidado é possível encontrar detalhes que indicam como foi o tratamento que o carro recebeu ao longo dos anos. Veja algumas dicas:

 

l  PERIGO DOS CARECAS

O desgaste irregular dos pneus pode indicar problemas na suspensão, no alinhamento da direção e balanceamento das rodas. Quando chegam ao ponto de ficar totalmente “carecas”, é sinal de desleixo extremo do proprietário, que não se preocupa com o fator segurança.

l O IMÃ

Ondulações na lataria e pontos de solda refeitos no compartimento do motor e porta-malas indicam que o carro se envolveu em uma batida mais forte. Outra forma de descobrir serviço de lanternagem malfeito é passar um imã sobre a lataria. Se houver massa plástica em excesso em algum ponto, o imã não vai grudar.

l FERRUGEM
Procure pontos de ferrugem na carroceria, principalmente sob o carpete no porta-malas, no assoalho e nas soleiras das portas. Bolhas na pintura também podem indicar ferrugem.


l OBSERVANDO AS FOLGAS

Preste atenção no espaçamento entre as peças móveis (portas, capô, tampa do porta-malas) e a carroceria. Folgas desiguais podem indicar que o carro se envolveu em batida mais grave e o reparo não foi dos melhores, já que as peças móveis estão desalinhadas.

l QUEIMADO

Pintura queimada também pode ser sinal de desleixo, indicando que o carro ficava exposto ao sol e poeira, o que não é bom. Tal prática pode também trincar o painel e ainda queimar o revestimento dos bancos.

l GAMBIARRA

Não custa verificar o cano de descarga e os para-choques, pois eles podem estar amarrados com pedaços de arame, gambiarra normalmente praticada por espertinhos. Muitas vezes, esse recurso é usado para evitar a troca do componente.

l DE VOLTA AO PASSADO

Uma forma muito comum de disfarçar a quilometragem real do veículo é voltar o hodômetro. E nem mesmo os digitais impõem dificuldades aos “especialistas”. Mas alguns detalhes podem revelar se a quilometragem registrada no hodômetro corresponde à verdade. As borrachas dos pedais e o pomo da alavanca de marchas desgastados são indicativos de que o hodômetro com baixa quilometragem foi manipulado. Etiquetas indicando troca de óleo e carimbo de revisão na oficina podem entregar a mentira.

l PINGA-PINGA

Com o carro parado em local plano, verifique se há vazamentos de óleo. Se começar a pingar, é sinal de problemas. Abra o capô e veja se o motor está lambuzado de óleo, o que indica problemas nas juntas ou em outros componentes. Certifique-se de que as mangueiras não estão ressecadas, pois, do contrário, poderão estourar em momento inoportuno.
l SINAL DE FUMAÇA

Motor soltando fumaça branca significa queima excessiva de óleo. Já a fumaça escura aponta queima excessiva de combustível, ou seja, o motor está desregulado. Outra forma de detectar se o propulsor está queimando óleo é passando o dedo na saída da descarga (depois de esfriar, é claro). Se a ponta do escapamento estiver lambuzada, é sinal de problemas.

l RUÍDOS

Faça um pequeno teste para detectar possíveis problemas na caixa de marchas. Dê uma volta com o carro, com os vidros fechados, e, trocando as marchas, tente perceber se existe algum tipo de ruído ou zumbido, que indicam problemas no câmbio. Ruídos na suspensão também são indicativos de avarias.

l PUXANDO

Com o carro em movimento, pise no freio para verificar se a direção vai puxar para um dos lados. Caso isso ocorra, é sinal de que o sistema de freios está precisando de revisão.
l SEM DIREÇÃO

Dirigindo no plano, deixe o volante mais livre para constatar se a direção está puxando para um dos lados, o que indica o desalinhamento do sistema.

l ÁGUA NO ÓLEO

Puxe a vareta do reservatório de óleo e verifique se existem bolhas ou uma substância esbranquiçada, que indicam a presença de água. Isso é problema grave.

l LEMBRETE

Problemas mecânicos normalmente têm solução, mas carroceria
empenada não.

l PAPELADA

Confira toda a documentação do veículo e verifique junto ao Detran se existem pendências, como multas. É bom conferir também se o carro foi chamado para alguma campanha de recall e não foi levado à concessionária pelo ex-proprietário. Recall é feito em itens que comprometem a segurança, por isso é importante verificar.


Publicidade