Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Não brinque com coisa séria

Diante do desleixo de muitos proprietários de veículos em atender ao chamamento dos fabricantes para corrigir defeitos graves, aplicativo pode ser alternativa para os %u201Cesquecidos%u201D


postado em 04/05/2019 05:12

Brasileiro gosta muito de carro, mas tem uma certa preguiça de fazer a manutenção de itens importantes, que podem até comprometer a integridade de motorista e passageiros. E se tem desleixo com as revisões, imagina com os chamados de recall, que normalmente são feitos para corrigir defeitos em itens de segurança? No Brasil, já foram feitas mais de mil campanhas de recall desde 2002 e, infelizmente, milhões de veículos ainda continuam com problema, pois seus proprietários não procuraram as concessionárias para fazer os reparos. Pensando nisso, Vinícius Melo criou o Papa Recall, um aplicativo que, de forma gratuita, avisa o dono se o carro já foi ou tem de ser submetido ao reparo. É compatível com smartphones nas plataformas iOS e Android.
A palavra recall, de origem inglesa, refere-se ao chamamento que a montadora faz quando reconhece um defeito de fabricação em item que comprometa a segurança, e faz a troca da peça danificada sem qualquer custo para o proprietário do carro. Os recalls estão previstos na Lei 8.078/90, do Código de Defesa do Consumidor, que determina que as empresas não podem colocar à venda produtos ou serviços que apresentem alto grau de risco à saúde ou segurança das pessoas. Portanto, são campanhas positivas, já que as montadoras reconhecem o erro e arcam com os reparos e todas as despesas. O problema é que, nos últimos anos, o número de campanhas de recall e de veículos envolvidos tem aumentado assustadoramente, levantando a discussão sobre a qualidade e os cuidados na produção de veículos no Brasil.

CRESCIMENTO De acordo com dados do Ministério da Justiça e Segurança Pública, desde 2002, mais de 1.100 campanhas de recall foram feitas no Brasil. Para piorar o quadro, de 2012 a 2017, a convocação de recalls cresceu mais de 100%. Em 2016, mais de 1,5 milhão de carros foram convocados pelas montadoras, número que chegou a 1,9 milhão no ano seguinte. Em 2018, foram chamados para reparos 2.168.123 veículos, mas apenas 13,5% desses compareceram às concessionárias para passar por reparos. Estima-se que mais de 20 milhões de veículos que trafegam pelas ruas e estradas brasileiras não atenderam ao chamado de recall.
A lei determina que as montadoras devem identificar o problema e convocar os proprietários das unidades envolvidas o mais rápido possível, sem causar qualquer tipo de transtorno. Mas como muitos donos de carros não levam os mesmos para fazer o reparo, além de comprometer a própria segurança e de terceiros, acabam gerando um problema no mercado de usados. Por isso, ao comprar um veículo usado, é importante averiguar se o mesmo já foi envolvido em alguma campanha de recall e se seu ex-proprietário o levou para fazer o reparo. A informação pode ser obtida nas concessionárias da marca.
Os problemas mais recorrentes nas campanhas de recall têm sido em componentes elétricos e eletrônicos, respondendo por cerca de 46%. Em segundo lugar aparecem falhas nos airbags (26%) e defeitos nos sistemas de freios (8%). Em 2018, a Chevrolet foi a marca com o maior número de veículos convocados: 543 mil unidades no megarrecall envolvendo o Onix, Prisma, Cobalt e Spin para corrigir uma falha no relé da caixa de fusíveis, que poderia provocar incêndio. A Fiat ficou em segundo lugar, com quase 432 mil veículos envolvidos em sete campanhas de recall, a maior delas atingindo Uno, Argo, Mobi, Strada, Palio Weekend, Toro e Grand Siena, todos com falha no relé, que provoca funcionamento irregular do motor.

PAPA RECALL Atualmente, existe um dispositivo que auxilia o proprietário desavisado a descobrir se seu carro foi envolvido em alguma campanha de recall. Trata-se do Papa Recall, desenvolvido por Vinícius Melo, um aplicativo que avisa o motorista se o automóvel cadastrado teve algum chamado do fabricante para conserto ou troca de peças. Basta o usuário fazer o download em seu smartphone, cadastrar seu veículo e automaticamente será informado se há recall pendente ou quando a montadora fizer o chamamento do modelo. Com o uso do Papa Recall, que é gratuito, é possível reduzir o risco de acidentes e evitar que uma frota significativa de veículos com defeitos de fábrica circule diariamente pelo país.
Para Vinícius Melo, um carro em circulação que tenha defeito de fábrica é praticamente uma bomba-relógio que pode trazer graves consequências. “Quando menos se espera, o problema pode colocar em risco a segurança do dono do veículo, dos passageiros e de todos aqueles que estejam próximos”, afirma. Além disso, ele lembra que, no Brasil, carro é uma propriedade que demanda investimento considerável, por isso deve haver cuidado com a manutenção do mesmo para evitar a desvalorização.


Publicidade