Publicidade

Estado de Minas DOCUMENTÁRIO

Filme mostra luta de jornalistas contra fake news na pandemia

Documentário Cercados sintetiza os desafios da cobertura da imprensa durante o surto de COVID-19 no Brasil


06/12/2020 04:00 - atualizado 05/12/2020 18:55

O documentário Cercados – A imprensa contra o negacionismo na pandemia, disponível no Globoplay, sintetiza os desafios da cobertura jornalística da pandemia no Brasil. O foco está nos profissionais dos principais veículos de comunicação do país que estão atrás das câmeras, lentes e notebooks para mostrar o que acontece desde fevereiro, quando foi registrado o primeiro caso da doença. Ao acompanhar o trabalho dos jornalistas – e as barreiras no caminho –, a produção faz uma retrospectiva deste ano louco que estamos vivendo.

Mas Cercados não é um filme de entrevistas. Ao longo de três meses, a equipe acompanhou os profissionais de imprensa e presenciou situações importantes do trabalho de 63 pessoas em cinco cidades – Manaus, Fortaleza, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. 

É um filme de vivência, que se destaca por combinar conteúdo informativo e a emoção dos dramas individuais, trazer bastidores raros do trabalho jornalístico e dar a chance do espectador refletir sobre os acontecimentos.

Diante do desafio de contar uma história que todo mundo viveu, Cercados fornece um novo de ponto de vista, a visão de quem escreve a notícia. Esse é o maior frescor do documentário. O nome é uma referência ao local onde os profissionais da imprensa fazem a cobertura diária do Palácio Alvorada. Um cercadinho mesmo, no qual a imprensa fica encurralada diante dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. O lugar aparece várias vezes no filme.

Também é um lugar simbólico: a luta da imprensa diante de quem insiste em negar a pandemia. Uma referência ao combate às fake news e ao trabalho minucioso para checar e desconstruir uma informação falsa, tão comum hoje em dia.

"Meu pai morreu de COVID. Você fica numa espécie de trincheira vendo que informações falsas são divulgadas por pessoas que deveriam ser confiáveis. Com uma checagem, você pode salvar vidas", declara no filme o jornalista Roney Domingos. (Estadão Conteúdo)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade