Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Prazer em ajudar

Sempre se pautando pelo respeito na vida pessoal e profissional, Danielle Dahoui afirma que participar do reality A grande causa é uma forma de contribuir com jovens aprendizes


postado em 26/05/2019 04:09

Danielle Dahoui é jurada do A grande causa: sanduíche vencedor será vendido em rede de fast food e parte do lucro reverterá para geração de empregos(foto: Arquivo pessoal)
Danielle Dahoui é jurada do A grande causa: sanduíche vencedor será vendido em rede de fast food e parte do lucro reverterá para geração de empregos (foto: Arquivo pessoal)


Respeito é a palavra que guia a vida pessoal e profissional da chef Danielle Dahoui. Foi assim que se tornou uma das profissionais mais talentosas e admiradas da sua área. Pernambucana de origem franco-italiana, ela morou em Recife, onde nasceu, no sul da Bahia, em Petrópolis (RJ), até que com 22 anos se mudou para a França para estudar gastronomia. “Fui extremamente maltratada lá. Foi aí que tive vontade de abrir meu próprio restaurante e fazer diferente. A cozinha já é uma pressão muito grande e não precisa de mais estresse, de ninguém gritando com você. Não vão deixar de te respeitar por isso. Tem que se impor de outras maneiras. Graças a Deus, essa prática entrou num démodé total. Os jovens cozinheiros não aceitam mais isso”, ressalta.

Esse estilo foi e é sua marca não só na cozinha, como na televisão. Em 2016, ela foi convidada para sua primeira experiência na telinha: apresentar o programa Hell’s kitchen – Cozinha sob pressão, no SBT/Alterosa. “Nunca quis fazer TV. Mas quando o Fernando Pelégio (diretor artístico do canal) me chamou, ele disse que seria a primeira mulher no mundo a comandar o Hell’s kitchen. Não tinha como recusar”, recorda. O resultado deu tão certo que a atração foi uma das campeãs de audiência da casa. Além do sucesso da franquia que é exibida em 18 países, Danielle acredita que foi seu jeito que acabou cativando os telespectadores. “O brasileiro se identificou porque não aguenta mais ver as pessoas sendo maltratadas. A vida já é tão difícil, então pra quê destratar os outros? Os participantes me respeitavam pela admiração que sentiam por mim. Impunha limites, tinha liderança, mas sem gritar com ninguém. Sou na TV a mesma coisa que na vida real”, assegura.

A chef e empreendedora – que completa 51 anos em setembro – acabou tomando gosto pelo ofício de comunicadora e participou de outra atração da emissora, o BBQ Brasil: Churrasco na brasa, como jurada em duas temporadas (2017 e 2018). Neste ano, Danielle aceitou participar de uma iniciativa que é muito mais do que um reality de culinária, mas uma forma de ajudar. A grande causa é exibida na América Latina por três canais em dias diferentes: Food Network, aos domingos; Discovery Home & Health, às quartas; e TLC, aos sábados.

Quatro talentos da gastronomia latino-americana – representantes do Brasil, Colômbia, Argentina e México – se enfrentam em quatro episódios. A apresentação e a condução é do chef Donato de Santis, italiano radicado em Buenos Aires. Além de Danielle Dahoui, o júri é formado por Álvaro Clavijo, proprietário do El Chato, em Bogotá, listado entre os 50 melhores restaurantes da América Latina. A participante brasileira é a chef paulistana Raissa Ribeiro, que com apenas 23 anos já é considerada uma das grandes promessas da gastronomia no Brasil. Em 2017, ela ficou em quarto lugar no MasterChef profissionais.

Além do prêmio de US$ 10 mil, o vencedor tem que criar um sanduíche que será comercializado durante um mês em 1.500 lanchonetes do McDonald’s no Brasil, Argentina, Colômbia e México. Parte do lucro arrecadado com as vendas será revertido em apoio à geração de empregos para jovens com a ajuda de ONGs de cada um dos países representados: Fundación Sí (Argentina), Instituto Ayrton Senna (Brasil) e Aldeas Infantiles S.O.S. (Colômbia e México). “Isso foi uma das coisas que mais me cativaram. Não é apenas mais um reality. É uma forma de ajudar. Além de ter sido muito bacana fazer, eu até falo em espanhol, tem essa oportunidade de contribuir de alguma forma com jovens aprendizes. É um programa que veio para revolucionar e deve ter uma nova temporada”, destaca.

A GRANDE CAUSA
 Food Network: domingo, às 18h50
Discovery Home & Health: quarta, à meia-noite (de quarta para quinta)
TLC: sábado, às 18h


Novo programa começa por Minas

 

O 1º de dezembro de 2018 marcou uma nova fase para Danielle. Com 28 anos de trajetória na gastronomia e comandando sete restaurantes de sucesso entre Rio e São Paulo, ela decidiu vender suas franquias e ficou apenas com o “primogênito”, o Ruella. Agora, quer aproveitar mais a vida, curtir a filha única, Noáh, de 14 anos, fruto do relacionamento com ex-jogador Raí, mas nem por isso deixar de fazer o que mais gosta e sabe fazer: cozinhar.

“Desde que comecei, nunca parei de trabalhar. Só quando engravidei. Tenho muito orgulho da minha trajetória e acho que agora é hora de dedicar a mim mesma e à minha filha que está virando adolescente. Estou na melhor, mais plena e feliz fase da minha vida”, assegura.

Os projetos para a televisão continuam. A chef não só gostou de apresentar, como também está escrevendo roteiros como o de programa que já teve a primeira leva de episódios gravadas e deve estrear em 2020. Partiu vai fazer uma viagem gastronômica pelo Brasil, começando por Minas Gerais. “Ainda não posso anunciar qual emissora irá exibi-lo. Mas adianto que começamos com o pé direto, pois viajei por todos sabores de Minas. Rodamos o estado todo para mostrar toda essa diversidade e a riqueza da culinária mineira. A minha ideia é essa: mostrar que o Brasil é também um polo turístico gastronômico”, frisa. 


Publicidade