Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Cheias de bossa (e de garra)

Ambientada no final dos anos 1950, Coisa mais linda é estrelada por quatro amigas que enfrentam o desafio de conquistar espaço no machista cenário musical brasileiro


postado em 17/03/2019 05:15

Fernanda Vasconcellos interpreta a feminista Lígia, dona de uma voz impactante(foto: Aline Arruda/Netflix)
Fernanda Vasconcellos interpreta a feminista Lígia, dona de uma voz impactante (foto: Aline Arruda/Netflix)



O rico cenário musical da bossa nova é o pano de fundo de Coisa mais linda, que estará disponível a partir de 22 de março no serviço de streaming Netflix. Como o gênero conquistou o planeta, tornando-se universal, a série será lançada globalmente e não somente para os assinantes brasileiros. O título da produção é  homônimo à música composta por Vinicius de Moraes e Carlos Lyra,  imortalizada na voz de João Gilberto e de outros artistas, como Caetano Veloso.

Do Japão a Nova York, e fãs de Tom Jobim, João Gilberto, Vinicius de Moraes e João Donato, entre outros pilares do movimento musical brasileiro, poderão se deliciar com as músicas desse repertório icônico na voz da protagonista  Maria Luiza, vivida por Maria Casadevall, e suas fiéis companheiras.

Malu, a personagem de Casadevall, é uma rica paulistana que desembarca no Rio de Janeiro na virada de 1959 para 1960, quando o marido decide abrir um restaurante na capital carioca. Nesse plano, a parte dela foi sugerir que o lugar tivesse música ao vivo, algo que ele não viu com bons olhos. No entanto, Malu sofre um duro golpe: é abandonada pelo marido, que some com todo o dinheiro do investimento.

Determinada, Malu não desiste de realizar seu desejo e conta com o apoio de três feministas. Lígia (Fernanda Vasconcellos) é dona de uma voz incomparável, enquanto Adélia (Pathy Dejesus) é uma carioca negra de força inabalável e Thereza (Mel Lisboa) uma jornalista inquieta e independente. Juntas, elas superam as inseguranças e enfrentam os desafios de se embrenhar em um mundo – até então – muito masculino: o da música e da boemia. Além das três amigas, também cruza o caminho da personagem de Maria Casadevall o talentoso músico Chico (Leandro Lima).

EFERVESCÊNCIA Produzida pela Prodigo Films – que assina também as séries FDP (HBO) e Oscar Freire_279, entre outras –,  a série tem outro mote, o saudosismo.

A atração destaca a efervescência do Rio de Janeiro pré-ditadura militar, em pleno governo do chamado “presidente bossa nova”, o mineiro Juscelino Kubitschek (1902-1976), que comandou o país de janeiro de 1956 a janeiro de 1961.


Coisa mais linda
Vinicius de Moraes e Carlos Lyra

Coisa mais bonita é você
Assim, justinho você
Eu juro, eu não sei porque você
Você é mais bonita que a flor
Quem dera, a primavera da flor
Tivesse todo esse aroma
De beleza que é o amor
Perfumando a natureza
Numa forma de mulher
Porque tão linda assim não existe a flor
Nem mesmo a cor não existe
E o amor
Nem mesmo o amor existe
Porque tão linda assim não existe
A flor
Nem mesmo a cor não existe
E o amor
Nem mesmo o amor existe



Coisa mais linda
• Estreia: 22 de março
• Netflix


Publicidade