Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

"Quinzinho é fruto do meio", diz Caio Paduan


postado em 03/03/2019 05:09

Caio Paduan contracena com Jesuíta Barbosa em Verão 90(foto: João Cotta/Globo )
Caio Paduan contracena com Jesuíta Barbosa em Verão 90 (foto: João Cotta/Globo )

 

Para Caio Paduan, o Quinzinho de Verão 90 tem valores deturpados, mas não chega a ser vilão. Na novela das 19h da Globo, o personagem interpretado pelo ator é o típico playboy, além de ser machista e preconceituoso. Herdeiro de Mercedes (Totia Meireles), ele cresceu mimado, tendo todas as suas vontades atendidas. Porém, de acordo com Paduan, o dono da PopTV se transformará depois do relacionamento com Dandara (Dandara Mariana).

“É uma novela rápida, com muitas mudanças. A gente começa aquele ano (1990) cheio de esperança: tem um momento de abertura do comércio, os Estados Unidos invadem o mundo inteiro, mas, principalmente, o Brasil, e o Quinzinho é aquele garoto que cresceu indo para a Disney, com casa em Miami”, afirma o ator.

Quinzinho tem muitos defeitos e seu intérprete reconhece isso. No entanto, Paduan ressalta um lado bom do personagem: ele chega a ser engraçado. Mas, ao colocá-lo em uma balança, a criação dada por Mercedes e Quinzão (Alexandre Borges) parece pesar mais e o rapaz acredita que o mundo é dele. “Ele é um cara extrovertido, mas também é egocêntrico. Tem momentos em que o personagem é muito legal. Fiquei me questionando por que gostam dele. Acho que Quinzinho é fruto do meio, o projeto de um pai e uma mãe iguais a ele. Nesse sistema, as famílias ricas eram mais importantes que as outras e isso é uma loucura que existia”, observa.

Assim como em O outro lado do paraíso (2017), o personagem de Caio Paduan terá de enfrentar a mãe racista para viver o amor com uma moça negra. Para o ator, embora tenham temáticas semelhantes, os trabalhos são diferentes. Afinal, Quinzinho também é preconceituoso e, por isso, prefere manter o compromisso com Larissa (Marina Moschen), que Mercedes adora.

TEMAS ATUAIS “É parecido, mas tem esse lugar do social. Ele sabe que a mãe não vai gostar, mas não fala que é pela cor. Quinzinho acha que é pela situação e também tem preconceito. Sabe que não pode namorá-la. Mas quem falou isso pra ele? É sabido socialmente. O personagem pensa que tem que continuar com a Larissa, pois é da mesma casta”, relata

Logo no início de Verão 90, o público viu o comportamento preconceituoso de Quinzinho com Diego (Sérgio Malheiros). Na época, ele acusou o rapaz injustamente de roubar uma das camisetas-convite por ser pobre. “Temos que mostrar que essas pessoas e os comentários existem. É a década de 1990, mas também é hoje. As coisas se perpetuam”, acredita. (Estadão Conteúdo)


Publicidade