Publicidade

Estado de Minas BATE E VOLTA - SERRA DA CANASTRA

Proteção ao nascedouro


postado em 03/03/2020 04:00

Região da nascente do Rio São Francico é reconhecida pela rica biodiversidade(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Região da nascente do Rio São Francico é reconhecida pela rica biodiversidade (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

 
O Parque Nacional da Serra da Canastra foi criado em 1972 para preservar a nascente do Rio São Francisco. O local tem paisagens deslumbrantes, onde predominam campos de altitude e o cerrado. Com um pouco de paciência e sorte é possível encontrar veados-campeiros, tamanduás-bandeiras, lobos-guarás, tatus-canastra, entre tantos outros, além de centenas de pássaros, como tucanos, gaviões, pica-paus e uma infinidade que habita tanto a parte alta como a parte baixa das matas e campos.
O principal objetivo dessa área é a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas, desenvolvimento de atividades de educação, contato com a natureza e turismo ecológico, assim como a proteção das nascentes dos rios São Francisco, Araguari, Santo Antônio, Samburá, Bateias, Rio Grande, dos ribeirões, da fauna e da flora.
 
Após a nascente, o Rio São Francisco passa por vales e quedas d%u2019água para se tornar o famoso Velho Chico(foto: Mário Castello/Esp. EM)
Após a nascente, o Rio São Francisco passa por vales e quedas d%u2019água para se tornar o famoso Velho Chico (foto: Mário Castello/Esp. EM)
 
 
Queijos premiados

A região do Sudoeste de Minas Gerais, que abriga o Parque Nacional da Serra da Canastra, abrangendo as cidades de São Roque de Minas, Delfinópolis, Sacramento, São João Batista do Glória e Capitólio, ganhou ainda mais visibilidade por conta do tradicional queijo canastra – conhecido por ter uma casca amarela por fora e por ser macio e saboroso por dentro. No ano passado, produtores da região conquistaram 24 das 50 medalhas recebidas por queijeiros de Minas Gerais no 4º concurso Mondial du Fromage et des Produits Laitiers, realizado na cidade de Tours, na França. E, desde 2008, o famoso alimento tem o seu modo de produção reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimônio cultural imaterial brasileiro. O queijo tipo canastra teve sua origem lá na Serra da Estrela, em Portugal, chegando ao Brasil através da colonização. A receita dessa tradição resultou em um tipo de queijo que se tornou um dos mais famosos do mundo: sofrido na sua origem, romântico na sua trajetória, nobre em nuances, único em texturas e sabores, um verdadeiro sonho de consumo. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade