Publicidade

Estado de Minas

Jeito bem mineiro

Rota do café especial é um dos vários atrativos gastronômicos na região serrana do estado. A Mantiqueira surpreende pela variedade de cheiros e temperos


postado em 25/02/2020 04:00 / atualizado em 21/02/2020 17:47

Na Rota do Café Especial, em Carmo de Minas, uma visita às fazendas produtoras do grão (foto: Patrick Grosner/Acervo Secult MG)
Na Rota do Café Especial, em Carmo de Minas, uma visita às fazendas produtoras do grão (foto: Patrick Grosner/Acervo Secult MG)

 
O turismo cafeeiro tem tido uma grande procura nos últimos tempos. O município de Carmo de Minas, a 378 quilômetros de Belo Horizonte, promove a Rota do Café Especial – um passeio em meio a lavouras de café das grandes fazendas da região que termina em uma típica mesa mineira com quitutes e o famoso rei das xícaras brasileiras. Os apaixonados por café devem incluir no roteiro de viagem uma visita às fazendas do Sertão, Serrado e IP. Devido à localização em alta altitude, elas cultivam e exportam grãos especiais de café: bourbon amarelo, bourbon vermelho, mundo novo, catuaí vermelho e amarelo, acaiá e icatu.

Circuito do Azeite

Outra experiência gastronômica imperdível na Mantiqueira é a degustação de azeites extravirgens. Trabalhos realizados pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) fizeram da região a pioneira na extração deste tipo de azeite no país. Os produtores de oliveiras locais oferecem aos visitantes produtos de alta qualidade e sabores suaves, frutados, amargos e picantes, completamente diferentes de outras regiões brasileiras. Para os interessados em conhecer os olivais e o processo produtivo do azeite, há circuitos de visitas guiadas em algumas cidades do Sul do estado. São elas: Gonçalves, Poços de Caldas e Maria da Fé, esta última conhecida nacionalmente como a Cidade das Oliveiras.
 
Queijos da Mantiqueira ganham destaque como o premiado Catauá(foto: Patrick Grosner/Acervo Secult MG)
Queijos da Mantiqueira ganham destaque como o premiado Catauá (foto: Patrick Grosner/Acervo Secult MG)
 


Circuito das Terras Altas

Aventureiros que preferem manter o pé no chão têm muitas opções na Serra da Mantiqueira. Na região encontram-se alguns dos mais altos picos do país e os maiores complexos ecológicos de Minas e do Brasil. Em Passa-Quatro, o Pico da Pedra da Mina fica a 2.797 metros de altitude; em Itamonte, está localizada a Pedra do Sino de Itatiaia, a 2.670 metros de altitude; e na cidade de Aiuruoca se encontra o Pico do Papagaio, a 2.100 metros de altitude. Até o topo, o viajante é tomado por um cenário exuberante em meio à floresta tropical da mata atlântica, com bosques de araucária entrecortados por lindas cachoeiras. Daí o nome Serra da Mantiqueira, que em tupi-guarani significa “serra que chora”.
 
O Circuito das Terras Altas em Minas Gerais oferece, ainda, práticas de canoagem, bóia-cross, rapel, escalada, tirolesa, trilhas de moto, jipe ou bike e caminhadas. Com temperaturas entre -4°C e 27°C, é o lugar perfeito também para o descanso, o aconchego, o queijo e o vinho.
 
Saiba mais

Em dezembro de 2019, a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult), as secretarias de Turismo de São Paulo e do Rio de Janeiro, o Ministério do Turismo e nove Instâncias de Governança Regionais lançaram o projeto Destino Mantiqueira, em Belo Horizonte, com o lema “O ano todo, a serra inteira”. A iniciativa busca fortalecer os atrativos turísticos e culturais da Serra da Mantiqueira e valorizar os produtos e roteiros regionais, fomentando parcerias e valorizando o turismo de experiência nas mais de 100 cidades que integram sua extensão. 


Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade