Publicidade

Estado de Minas

Tesouros históricos


postado em 21/01/2020 04:00

Igor Galo
Especial para o EM
 
Impressionante a arquitetura mudéjar (com influência árabe) da Torre de San Martín, na Paróquia de Santa María Magdalena (foto: Gerardo Abtônio Romero /Pixabay)
Impressionante a arquitetura mudéjar (com influência árabe) da Torre de San Martín, na Paróquia de Santa María Magdalena (foto: Gerardo Abtônio Romero /Pixabay)
 

Quando o navegador Cristóvão Colombo chegou à América, a Espanha que conhecemos hoje teve duas capitais. Do Reino de Castela, Toledo, onde estava a rainha Isabel e sua corte, e Zaragoza, a capital do antigo Reino de Aragão, que permaneceu independente até 1707, e como uma entidade regional até 1833, com a unidade da Espanha. Situada a meio caminho entre Madrid e Barcelona, tem atraído cada vez mais visitantes que viajam em trens de alta velocidade entre as duas grandes cidades, principalmente pela facilidade de acesso. A parada permite descobrir os tesouros históricos da capital aragonesa.
 
Com 2 mil anos de história, Zaragoza foi originada na cidade romana de Cesaraugusta desde que se tornou a cidade mais importante no Rio Ebro. Na verdade, suas atuais características históricas quase seguem a rota da antiga cidade romana.
 
Ao caminhar pelos ruas de Zaragoza, principalmente na Calle Alfonso, o turista se depara com arquitetura eclética dos prédios bem conservados
Ao caminhar pelos ruas de Zaragoza, principalmente na Calle Alfonso, o turista se depara com arquitetura eclética dos prédios bem conservados
Sob a atual Basílica da Virgem del Pilar, que durante anos foi a principal atração para os visitantes de Zaragoza, está o fórum romano antigo que foi redescoberto em 1990 durante as obras de construção de um parque de estacionamento subterrâneo. Hoje, como outrora, essa praça ainda é o epicentro histórico da cidade, onde estão a Catedral de São Salvador (SEO) e a Basílica del Pilar, duas visitas essenciais. Zaragoza é única cidade no mundo que tem duas catedrais.
 
Palácio da Aljafería, construído na segunda metade do século 11, é o testemunho islâmico na cidade (foto: Fotos: Zaragoza Turismo/Divulgação)
Palácio da Aljafería, construído na segunda metade do século 11, é o testemunho islâmico na cidade (foto: Fotos: Zaragoza Turismo/Divulgação)
Uma visita ao Museu Fórum Cesaraugusta, na Plaza del Pilar, pode ser uma excelente opção para iniciar uma caminhada pela cidade, conhecendo suas origens. A entrada custa 3 euros e inclui um guia de áudio e audiovisual, que explica como foi a fundação da cidade. Ele faz parte do conjunto de cinco museus municipais, que podem ser visitados por apenas 9 euros.
 
Aqueles que desejam uma visita guiada da Zaragoza desconhecida, que começa desde os tempos romanos até o presente, a Civitatis oferece o serviço por 7 euros. O conselho da cidade oferece o Zaragoza Cartão de Turista por 18 euros, permitindo o acesso a museus e monumentos da cidade, sem encargos adicionais, visitas guiadas, além de meios de transporte públicos.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade