Publicidade

Estado de Minas FERNANDO DE NORONHA

Santuário preservado

Arquipélago abriga 14 praias banhadas por águas quentes de um azul-turquesa e areia branca que impressionam os visitantes, Um convite para o mergulho


postado em 31/12/2019 04:00 / atualizado em 28/12/2019 18:37

A praia da Baía do Sancho foi eleita pela terceira vez a mais bonita do planeta. A avaliação foi feita pelo site TripAdvisor(foto: Lola Fritsche/Divulgação)
A praia da Baía do Sancho foi eleita pela terceira vez a mais bonita do planeta. A avaliação foi feita pelo site TripAdvisor (foto: Lola Fritsche/Divulgação)


A consciência ambiental é o que faz do arquipélago de Fernando de Noronha, formado por 21 ilhas com praias quase desertas, um santuário intacto no planeta. As regras que impõem restrição ao número de visitantes – apenas 240 pessoas podem pernoitar no arquipélago ao mesmo tempo – ajudam a preservar e garantir a sustentabilidade deste paraíso na costa do estado de Pernambuco, que completou 516 anos de história em 2019.
 
Desde que virou destino das celebridades, Noronha tem recebido um fluxo maior de turistas. Todos querem viver as mesmas experiências dos famosos. Tanto que no ano passado, de acordo com o ICMBio, aproximadamente 100 mil turistas visitaram Noronha (o plano de manejo previa 89,7 mil visitantes ao ano). O número recorde deve se manter este ano.
 
Morro Dois Irmãos se destaca na Baía dos Porcos(foto: MÁrcio Carvalho/Divulgação)
Morro Dois Irmãos se destaca na Baía dos Porcos (foto: MÁrcio Carvalho/Divulgação)
 
Localizada a 540 quilômetros da capital pernambucana, Recife, a ilha de Fernando de Noronha é dividida entre dois mares – o de dentro (entre o Brasil e a ilha) e o de fora (entre a ilha e a África). Quem visita o santuário dispõe de 14 praias paradisíacas, três baías e uma enseada que são cenários naturais de extrema beleza que encantam todos que passam por lá.
 
Difícil escolher uma preferida para passar mais tempo só nela. O Mar de Dentro – parte da ilha voltada para o Brasil – tem praias de areias claras e mar tranquilo a maior parte do ano. Esse cenário de calmaria muda de dezembro a março, com a chegada de tempestades no hemisfério norte, que refletem ondas enormes no Mar de Dentro, dando início à temporada de surfe na ilha.
 
A vista da trilha do Mirante do Sancho é de tirar o fôlego(foto: Lola Fritsche/Divulgação)
A vista da trilha do Mirante do Sancho é de tirar o fôlego (foto: Lola Fritsche/Divulgação)
Do outro lado da ilha fica o Mar de Fora. De um azul impressionante e com muitas formações rochosas, o mar é agitado pelos ventos vindos da África. Em alguns pontos, os arrecifes protegem e acalmam as águas, possibilitando o banho de mar. É como mergulhar em um aquário infinito. A vida marinha na região é bastante rica, garantindo o sucesso de qualquer mergulho para observar peixes coloridos de diversas espécies, tartarugas, golfinhos e muito mais. Algumas praias também contam com excelentes ondas, atraindo surfistas e esportistas náuticos o ano todo.

História Considera-se como data oficial do descobrimento de Fernando de Noronha o dia 10 de agosto de 1503, a partir dos registros documentais existentes do navegador e escritor florentino Américo Vespúcio. O arquipélago surgiu há aproximadamente 12 milhões de anos, por meio de uma série de erupções vulcânicas, e foi a primeira capitania hereditária do Brasil.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade