Publicidade

Estado de Minas BATE E VOLTA - PICO DO IBITURUNA (MG)

Para todos os públicos

Além da vista linda que a região oferece, há diversas atrações para curtir sozinho ou em família


postado em 23/08/2019 06:00 / atualizado em 19/08/2019 17:23

(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 2/2/18)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 2/2/18)

 
 
E não é só de adrenalina que vivem os frequentadores do Pico do Ibituruna. A região atende a todos os públicos, desde os entusiastas até aqueles que querem passar um momento agradável com a família. Há algumas pousadas e restaurantes que fazem a alegria dos turistas.
 
Para levar as crianças, atrações como a casa do Papai Noel, a casa dos três porquinhos e o lobo mau e a casa do pica-pau podem render ótimas fotos para compartilhar com toda a família. E, é claro, proporcionar boas gargalhadas e memórias afetivas. Algumas atrações são pagas.
 
Outro ponto turístico da cidade é a escultura dos ETs e um disco voador. Segundo relatos, um morador que vivia no Pico do Ibituruna diz ter sido abduzido por extraterrestres e levado para Marte para ser estudado pelos seres misteriosos. Depois de quatro horas do desaparecimento, o morador foi encontrado em Montes Claros, cidade mineira que fica a sete horas de distância do local em que ele foi visto pela última vez. Curioso, não?!
 
Se tiver disposição, é possível realizar trilhas, algumas com dificuldade leve e outras que exigem um pouco mais de esforço. No topo do pico, a visão compensa qualquer desgaste durante a caminhada. Leve uma garrafinha d'água e não esqueça o protetor solar.
 
 
saiba mais
 
Criada em 1983, a área de proteção do Pico do Ibituruna abrange cerca de 6.243 hectares com áreas remanescentes de mata atlântica. Porém, o local sofre com incêndios que atingem a unidade de conservação, contribuindo para sua degradação. Várias campanhas de conscientização são feitas na região sobre a importância da mata e da criação de aceiros, espaços entre a mata e a cerca para evitar a propagação do fogo. O uso intensivo para pecuária e as queimadas provocaram redução de 60% da mata original nos últimos 30 anos.

* Estagiário sob a supervisão da editora Teresa Caram 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade