Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Natureza selvagem

Região é perfeita para observar o nascer ou o pôr do sol atrás da floresta, bem como aves e animais de grande porte


postado em 23/04/2019 06:32

Olhar para o alto durante o dia é a chance de ver revoada de pássaros(foto: Trijunção/divulgação)
Olhar para o alto durante o dia é a chance de ver revoada de pássaros (foto: Trijunção/divulgação)


As estradas de terra vermelha que cortam o cerrado levam até uma estrutura quase camuflada entre as árvores baixas de troncos tortuosos e folhas entre espinhos. Impressiona como a Pousada Trijunção consegue incorporar os elementos desse bioma agreste de tal forma que se torna uma presença, ainda que artificial, num ambiente natural, mas que consegue ser harmônica e integrada. A madeira que é colhida na mata adorna cercas, degraus e outras estruturas. A palha dos coqueiros reveste os telhados da sauna e de outros ambientes. Nos jardins, os cactos e flores que tornam o cerrado ainda mais exuberante atraem para dentro da hospedaria revoadas de pássaros curiosos e o voo colorido de borboletas.

“A ideia é essa mesma. Trazer para o hóspede uma experiência selvagem, rústica, mas com conforto”, define Roberto Pinheiro, gerente do Grupo AlmaA, dono do empreendimento e que aposta nesse tipo de experiências em outros hotéis da rede, como o Tankamana Ecoresort (Itaipava, RJ), Solar do Império (Paraty, RJ), Pousada Literária (Paraty, RJ), Fazenda Bananal (Paraty, RJ) e a Pousada Tatubel (Trancoso, BA).

Na área da pousada, todos os espaços são devassados propositalmente, com as varandas e corredores se tornando grandes molduras para o cerrado. Uma torre que se ergue no meio da estrutura permite ver do alto a amplitude da mata que cerca a pousada em todas as direções, um reforço para a certeza de que o visitante se encontra mesmo isolado. É do alto, também, que se admira a impressionante diversidade de pássaros. Um lugar perfeito também para observar o nascer ou o pôr do sol atrás da floresta.

Quente o cerrado é a qualquer momento do dia. Por isso a piscina da pousada permite refresco e conta até com um bar. Uma forma de lazer e relaxamento integrada à paisagem, no meio da mata e ao lado do terreno arenoso das proximidades com as formações de veredas. A presença dos hóspedes não intimida os pássaros, que também veem na água límpida da piscina uma forma de aplacar também o calor com mergulhos rápidos, terminando empoleirados nas árvores ao redor.

Os quartos seguem o mesmo conceito e utilizam peças reaproveitadas de árvores caídas, de plantas ressecadas e de outros elementos fornecidos pelo cerrado para compor sua decoração. A ideia é retratar nos bordados, travesseiros e almofadas referências a Grande sertão: veredas, obra de Guimarães Rosa que inspira aquele ambiente com as aventuras dos jagunços e a cultura do sertanejo. Ainda que aparente ser rústico, os quartos são como cápsulas que permitem um contato com o mundo exterior sem um brusco desligamento do ambiente selvagem de quem acabou de sair da mata. Tem ar-condicionado para trazer alento do calorão, wi-fi e TV a cabo para se comunicar com o mundo civilizado e saber o que se passa ou simplesmente se entreter assistindo a um filme ou a uma série.

O banho quente deixa no lugar e bem mais relaxada a musculatura daqueles que caminharam o dia todo pelas trilhas e estradas. Sendo o pouso na cama king size o último ato de um dia inteiro de andanças, explorações ou simplesmente de contemplação. A chuva, quando bate no telhado, seja em rajadas fortes ou no pingar constante das garoas, ajuda a acelerar ainda mais a vinda de um sono restaurador. Uma forma de descanso que recupera incrivelmente as energias para o dia seguinte.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade