Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Oriente revelado

Istambul atrai milhares de turistas por conta da conexão entre os continentes e por misturar a modernidade do Ocidente à antiguidade do Oriente


postado em 19/03/2019 05:07

Os azulejos que ornam o interior da Mesquita Azul foram os responsáveis pela denominação do templo muçulmano (foto: Marina Camargo/CB/ D.A Press)
Os azulejos que ornam o interior da Mesquita Azul foram os responsáveis pela denominação do templo muçulmano (foto: Marina Camargo/CB/ D.A Press)


Porta de entrada na Turquia, Istambul é uma das maiores e mais badaladas cidades do mundo. Dividida pelo Estreito de Bósforo, que separa o lado europeu do lado asiático, ligando o Leste ao Oeste, atrai milhares de turistas por conta dessa conexão entre os continentes que mistura a modernidade do Ocidente com a antiguidade do Oriente. Para os casais apaixonados, Istambul é um destino inesquecível, que conta com as mais diversas atrações para tornar esse momento ainda mais especial. Ao longo do canal que separa os continentes, o turista avista no horizonte mesquitas com minaretes (torres) pontiagudos, igrejas com torres em estilo romano e o vaivém de barcos nas águas azuis.


Destaque para Santa Sofia, basílica posteriormente convertida em mesquita e, atualmente, em museu. Uma das principais heranças do Império Bizantino e um dos edifícios mais importantes já construídos, esta foi a maior catedral do mundo durante quase 1.000 anos. Seu interior é impressionante. As dimensões da sala principal (70m por 74m), a iluminação difusa, os enormes medalhões decorativos e as colunas monolíticas deixarão você de boca aberta.


No segundo andar da basílica, você vai encontrar diversos mosaicos de grande interesse histórico. O mosaico mais destacado mostra o imperador Constantino e a imperatriz Zoe adorando Cristo. Entre 1204 e 1261, Santa Sofia foi a igreja do papa. Em 1453, foi tomada pelo Império Otomano e transformada em mesquita. Os otomanos dotaram a igreja de quatro minaretes, uma escola teológica e um refeitório público.

MESQUITA AZUL Largamente confundida com a Santa Sofia, a Mesquita Imperial do Sultão Ahmet Camii, conhecida como A Mesquita Azul, com seis minaretes, é outro lugar mais visitado em Istambul. No interior, mais de 20 mil azulejos azuis (por isso o nome) que adornam a cúpula e a parte superior da mesquita. A iluminação interna vem de seus mais de 200 vitrais e dos lustres pendurados no teto. Um conselho ao visitar um templo muçulmano é respeitar as seguintes regras: usar roupa apropriada e tirar os sapatos antes de entrar. As mulheres devem ter os ombros e os cabelos cobertos.


Para quem gosta de compras, vale conhecer o Grand Bazar, um dos maiores e mais antigos mercados cobertos do mundo, com mais de 60 ruas e cerca de 5 mil lojas, atraindo milhares de visitantes todos os dias. Calcula-se que cerca de 20 mil pessoas trabalhem no local. Aberto em 1461, ele é referência na Turquia, principalmente, pela joalheria, artesanato, luminárias, cerâmica, especiarias e tapetes. E quem busca cheiros e sabores locais, não deixe de visitar também o Bazar das Especiarias. Em seus pequenos corredores, o turista encontra uma infinidade de temperos, frutas secas, chás e os inconfundíveis lokum’s (doces turcos, como os de pistache, nozes e damasco). O cheiro das especiarias, misturado ao aroma da fumaça de narguilé de maçã, é uma experiência sensorial única. Nesse importante mercado de Istambul é possível encontrar presentes tradicionais por preços baixos. Para almoçar entre um passeio e outro, a recomendação é o Eftalya, lugar tranquilo e com um panorama único. No cardápio, uma deliciosa combinação de frutos do mar frescos.


Publicidade