Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Construção medieval


postado em 08/01/2019 05:05

Como qualquer outra construção gótica, a Catedral de Colônia dedicada a São Pedro e a Nossa Senhora na Alemanha provoca calafrios e admiração. Não é para menos. Tanto externa quanto internamente, as imponentes proporções desse templo magnífico são de tirar o fôlego – com os seus 157 metros de altura, suas torres pontiagudas podem ser vistas num raio de vários quilômetros. Ainda na fachada, os arabescos, as imagens que adornam o pórtico principal, convidam a conhecer seu interior. Lá dentro, a opulência da grande nave central, com seus pilares escuros iluminados pelas cores dos vitrais grandiosos de sua construção, é arrepiante. No coração dessa igreja é onde se dá o momento de reclusão e de contato com o divino.
A inquietante arquitetura abriga numa área de 6.900 metros quadrados cinco naves e sete capelas. Os olhos dos turistas e fiéis que visitam pela primeira vez o local se perdem nos detalhes das imagens sacras, dos adornos em ouro e  do trabalhado piso em mármore. E suas colunas lisas, em forma de arcos que se elevam até o teto, são impressionantes.


Três Reis Magos    Esta que é uma das belas construções medievais germânicas tem o traço marcante de tantos outros templos católicos como a Notre Dame, de Paris, e a Catedral do Castelo de Praga. Mas ela tem um quê de especial – a igreja que levou mais de 600 anos para ser construída abriga, atrás do altar, os restos mortais dos reis magos, numa arca de ouro e prata, ornamentada com pedras preciosas.


      Sua história se inicia no ano de 1164, quando o imperador alemão Frederico Barba Ruiva saqueou Milão e transferiu para a cidade alemã as ossadas de Baltazar, Melchior e Gaspar. Colônia então transformou-se em local de peregrinação, e a afluência de fiéis era tão grande que a catedral da época não a comportava. A construção, às margens do Rio Reno, é a quinta igreja mais alta do mundo na atualidade O símbolo da cidade atrai seis milhões de turistas por ano, sendo o local turístico mais visitado da Alemanha.


Na Segunda Guerra Mundial, a catedral foi bombardeada com 14 ataques aéreos e não caiu. Após inúmeras reformas e por sua importância histórica, em 1996 a catedral foi classificada pela Unesco como patrimônio mundial da humanidade.


Publicidade