Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Dividida pela Linha do Equador

Capital do Amapá é destino turístico repleto de curiosidades e atrações naturais


postado em 27/11/2018 05:19

Fortaleza de São José de Macapá, erguida entre 1764 e 1782, tem muralhas de 15 metros de altura(foto: Alécio Cezar/Wikipédia/divulgação)
Fortaleza de São José de Macapá, erguida entre 1764 e 1782, tem muralhas de 15 metros de altura (foto: Alécio Cezar/Wikipédia/divulgação)

Com cerca de 480 mil habitantes, Macapá atrai cada vez mais turistas interessados em conhecer as belezas naturais da capital do Amapá. A orla é toda banhada pelo Rio Amazonas. Única capital cortada pela linha do Equador, a cidade – que completou 260 anos – reúne algumas curiosidades, como o equinócio, fenômeno que ocorre nos meses de março (outono) e setembro (primavera), e que consiste no alinhamento do Sol com a linha do Equador, e que faz o dia e a noite terem a mesma duração.

Nessas ocasiões, Macapá se enche de turistas, que visitam o Monumento Marco Zero, um obelisco com um círculo que é preenchido pelo Sol no momento exato em que ele está na linha do Equador. No terraço do monumento tem um espaço destinado a shows, além de salão para exposições, bar e lanchonete e lojas para venda de produtos regionais. Esse é o mais conhecido ponto turístico de Macapá.

No Estádio Milton de Souza Corrêa, apelidado de Zerão, a linha do meio de campo coincide com a linha do Equador, e assim, cada time que lá jogar estará num hemisfério.

Outro importante ponto turístico da cidade é a Fortaleza de São José de Macapá, erguida entre 1764 e 1782 por negros, índios e escravos. O local tem muralhas de 15 metros de altura erguidas na época para proteger o Rio Amazonas. Vista de cima, a fortaleza se assemelha a uma estrela, pela disposição de seus quatro baluartes. Na parte interna encontram-se os prédios que abrigavam os antigos armazéns, capela, casa de oficiais e do comandante, casamatas, paiol e hospital.

IGREJA BICENTENÁRIA Bem como a Fortaleza de São José, o Trapiche e o Mercado estão no roteiro de quem visita a capital. A bicentenária Igreja de São José, com a imagem do padroeiro da cidade, é outra visita imperdível. Na Pedra do Guindaste, também foi erguida uma imagem do padroeiro.

A Vila do Curiau, localizada a oito quilômetros da capital amapaense, revela a história de remanescentes quilombolas, além da bela paisagem natural e riquezas da fauna e da flora. Para quem procura praia, os balneários de Araxá e Fazendinha são os maiores destaques, além de oferecer várias opções gastronômicas em restaurantes à beira do rio.

Aliás, a rica gastronomia da região é um atrativo à parte. Peixes do Rio Amazonas predominam nas receitas de restaurantes e quiosques da orla. Sucos, doces, sorventes e bombons de frutos e amêndoas típicos, como o açaí e a castanha, encantam os turistas.

Outro ponto forte em Macapá é o marabaixo, a maior expressão cultural de Macapá, manifestação folclórica trazida pelos escravos, de música e dança. O Museu Sacaca tem reprodução das habitações indígenas, de caboclos, ribeirinhos e castanheiros.

O estado do Amapá é repleto de paisagens naturais, praias em rios, trilhas em matas, além de oferecer uma culinária rica, variada, com diferentes influências, que vale a sua visita. O estado abriga o maior parque nacional do país (Montanhas do Tumucumaque) e um dos maiores do mundo, com quase 3,9 milhões de hectares.


Publicidade