Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

REPORTAGEM DE CAPA


postado em 30/10/2018 09:13

Na cidade do consumo, o perigo é gastar além da conta (foto: Frederico Teixeira/EM/D.A Press)
Na cidade do consumo, o perigo é gastar além da conta (foto: Frederico Teixeira/EM/D.A Press)

 

 

PRA ENCHER A SACOLA

É fato que a cotação do dólar não anda lá muito favorável e que Nova York ainda fica um pouco atrás de Orlando ou Miami no quesito compras, mas, pesquisando bem, é possível encher a sacola com bons produtos. Se você gosta de se jogar nas grandes lojas de departamentos, são muitas as opções: Marshalls,TJ Maxx, Target, Bed Bath & Beyond, todas com várias filiais espalhadas pela cidade. Os fãs dos eletrônicos também encontram boas opções, como a B&H Photo. Caso não tenha muito tempo para as compras, você pode ir direto até a tradicional Macy’s, aberta em 1924. Com mais de um milhão de itens à venda em seus 10 andares, se transformou na maior loja de departamentos do mundo. Aí é ter paciência e disposição para percorrer os ‘intermináveis’ corredores à caça daquela oferta.
A cidade também é pródiga em brechós e lojas de roupas com peças com preço mais acessível. Mas, se você pode pagar um pouco mais por itens especiais, Nova York também é seu lugar. São várias as lojas onde é possível adquirir produtos “com a sua cara”. Uma das mais recentes é a Ollfactory, onde você pode customizar seu próprio perfume. Na Converse e no NikeLab você pode sair com modelos exclusivos de tênis. Na 3x1, o must são os jeans personalizáveis, com o cliente escolhendo tamanho, cores e o design da peça.

JOGANDO EM TODAS

Fãs de esportes provavelmente entrarão em êxtase ao visitar Nova York. Para muitos, a cidade é quase um paraíso. O difícil será fazer escolhas, afinal, há equipes de peso nas mais diversas modalidades: beisebol (Yankees e Mets), hóquei (Rangers e Islanders), futebol americano (Giants e Jets) e basquete (Knicks e Nets). O ‘nosso’ futebol também merece atenção. New York City e New York Red Bulls (com sede na vizinha Nova Jérsey) estão entre os 23 que hoje disputam a Major League Soccer (em 1996, eram só 10 concorrentes). Mesmo tendo sido fundado apenas há cinco anos, o City já contou com nomes como o inglês Lampard, o italiano Pirlo e o espanhol David Villa, que ainda defende a equipe. Já o Red Bulls, fundado em 1995, teve, entre outros destaques, os franceses Henry e Djorkaeff e o australiano Tim Cahill.
Se você entrar no clima e for bom de corrida, ainda dá tempo de participar da tradicional maratona de Nova York, disputada anualmente no primeiro domingo de novembro. Há agências que vendem pacotes de viagem (4, 5 ou 7 noites de hospedagem), com a inscrição para a prova já garantida.

GRANA ALTA

No mês passado, Nova York desbancou Londres pela primeira vez como centro financeiro mais atrativo do mundo, de acordo com ranking publicado semestralmente desde 2007 pela consultoria britânica Z/Yen. Com mais de 2500 empresas listadas e mercado de capitais em torno de US$ 20 bilhões, a Bolsa de Valores de NY, localizada na icônica Wall Street, é a maior dos EUA e, juntamente com a Nasdaq e a American Exchange, uma das mais influentes do mundo. Diariamente, milhares de engravatados (ou não) se concentram na cidade para fechar negócios. E as grandes redes não hoteleiras não deixariam essa oportunidade passar em branco... Investiram nos chamados hotéis de cidade.
Entre os mais recentes lançamentos está o Iberostar 70 Park Avenue, primeira unidade da rede voltada para o segmento urbano nos Estados Unidos. Construído no bairro de Murray Hill, em um prédio de 1928 – que preserva em sua fachada o estilo clássico nova-iorquino, com os famosos tijolinhos vermelhos –, o hotel tem 205 suítes em 17 andares e foi pensado também para facilitar o trabalho de quem viaja a Nova York a negócios. Com o luxo característico da rede, os quartos apresentam grande e confortável área para trabalho, cofre para computador portátil, wi-fi gratuito e salas de reuniões. Além disso, o hotel tem na localização um de seus trunfos: no coração de Manhattan, fica bem próximo da 5ª Avenida, Times Square, Rockfeller Center, Empire State...
Os viajantes de negócios também podem participar de um programa VIP que lhes garante hospedagem em quartos a partir do 7º andar (mais distante de ruídos da rua), upgrade de categoria, e até serviço de abertura de cama à noite, para aqueles que necessitam de mais espaço durante o dia. Com diárias por volta de US$ 200 (de acordo com a época do ano), o hotel também quer agradar a quem viaja a lazer. Além de estar próximo aos pontos turísticos mais procurados, dispõe de minibar, academia 24 horas, instalações e serviços para pessoas com mobilidade reduzida, valet parking e adaptação para receber animais de estimação. Hóspedes frequentes que se inscreverem no programa de fidelidade também contam com upgrade, late check-out e hospedagam gratuita para pets. Até 2019, a Iberostar planeja inaugurar mais três hotéis de cidade, chegando a 11 unidades ao redor do mundo (hoje, já opera em Madri, Lisboa, Budapeste, Miami, NY, Barcelona, Santa Cruz de Tenerife e Havana).


*O repórter viajou a
convite do IberoStar


Publicidade