Publicidade

Estado de Minas

Canal de Amsterdã terá ponte feita por impressão 3D

Impressoras 3D robóticas podem desenhar estruturas em aço em três dimensões


postado em 17/06/2015 12:00 / atualizado em 17/06/2015 12:55

MX3D robots, visualisation of the 3D printed steel bridge tot come in Amsterdam #MX3D #MX3Dbridge #3Dprinting

Um vídeo publicado por MX3D (@mx3dbridge) em

Haia – Uma start-up holandesa anunciou ontem que pretende construir a primeira ponte por impressão 3D sobre um canal de Amsterdã, uma técnica que pode se tornar a solução para locais de difícil acesso. A empresa de engenharia civil MX3D quer usar impressoras 3D robóticas “que podem desenhar estruturas em aço em três dimensões. Esses robôs são diferentes porque podem imprimir sem ficar limitados pelo tamanho das plataformas de construção, como ocorre com as impressoras 3D tradicionais”, declarou a porta-voz da empresa, Eva James. Os robôs, que dispõem de braços longos, caminham pelo canal, deslizando de um lado para o outro da ponte para pedestres, imprimindo suas próprias estruturas de base enquanto se deslocam no ar.


(foto: Reprodução/mx3d.com/projects/bridge/)
(foto: Reprodução/mx3d.com/projects/bridge/)

Criados para este projeto, os robôs esquentam o metal até uma temperatura de 1.500 graus com o objetivo de soldar e, assim, montar a estrutura gota a gota, usando um programa para preparar os desenhos. “O princípio de base é muito simples: conectamos uma máquina de solda avançada a um braço de robô industrial. Depois, usamos um programa inteligente para operar as máquinas para que elas possam imprimir formas metálicas muito complexas, que podem ser diferentes a cada vez”, afirmou o designer da ponte, Joris Laarman. O projeto, que deve começar em setembro e terminar em meados de 2017, envolve também a empresa de construção Heijmans e o programa Autodesk.

(foto: TL Joris Laarman/MX3D/AFP)
(foto: TL Joris Laarman/MX3D/AFP)
 

Robôs esquentam metal até 1.500 graus com o objetivo de soldar e, assim, montar a estrutura(foto: Reprodução/mx3d.com/projects/bridge/)
Robôs esquentam metal até 1.500 graus com o objetivo de soldar e, assim, montar a estrutura (foto: Reprodução/mx3d.com/projects/bridge/)
 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade