Publicidade

Estado de Minas

Tecnologia 4K ganha mais espaço no Brasil

Sistema de ultradefinição de imagens está mais perto da realidade do país, com a chegada de equipamentos e a criação de empresa que oferece conteúdo audiovisual similar ao difundido em Hollywood


postado em 30/10/2014 07:00 / atualizado em 30/10/2014 06:58

O produtor de cinema e TV Beto Tibiriçá comercializa cenários no formato digital backlot, para quem precisa gravar, por exemplo, em Nova York, mas não tem tempo e dinheiro para estar lá com toda uma equipe de profissionais(foto: CT Image/Divulgação)
O produtor de cinema e TV Beto Tibiriçá comercializa cenários no formato digital backlot, para quem precisa gravar, por exemplo, em Nova York, mas não tem tempo e dinheiro para estar lá com toda uma equipe de profissionais (foto: CT Image/Divulgação)

A tecnologia 4K, que ganhou um impulso a mais na Copa do Mundo do Brasil com a transmissão de alguns jogos em ultradefinição de imagens, começa a ganhar novos espaços no país, que já conta com o primeiro banco de vídeos imersivos (que permitem interação) do mundo feitos com o recurso, que oferece resolução bem superior ao Full HD. A iniciativa é do produtor de cinema e televisão Beto Tibiriçá, que há menos de dois meses inaugurou a CT Image, empresa criada para oferecer conteúdo audiovisual voltado às agências de publicidade, produtoras de vídeo e cinema, escritórios de arquitetura, enfim, empresas que necessitam de soluções digitais. O cineasta, que tem no seu currículo experiências em longas e curtas-metragens, documentários e obras de ficção (como Palavra e utopia, Filmefobia, Atos dos homens, Entre os dedos, A outra margem e Viúva rica solteira não fica, entre outras obras), explica que percebeu que um novo mercado está em formação e resolveu ampliar sua atuação criando a produtora.

Segundo ele, a ideia da empresa é oferecer uma opção rápida e financeiramente bem acessível para quem necessita de conteúdo visual com a qualidade da melhor tecnologia disponível hoje no mercado global. Focada na captação de imagens em cidades ao redor do mundo, a CT Image já tem em seu banco cerca de 30 opções de locais da América do Norte, América do Sul e Europa – Amsterdã, Nova York, Chicago, Buenos Aires, Rio de Janeiro, Lisboa, Barcelona, Paris, Praga e Londres são algumas das cidades que integram esse leque. Todos os vídeos estão disponíveis no formato digital backlot, que é uma das tecnologias mais difundidas em Hollywood e que permite a inserção de praticamente qualquer elemento em um determinado cenário.

Sem sair de casa

“Perto de 80% da produção de Hollywood, especialmente as séries, é feita com essa tecnologia, composta pela junção de três imagens captadas em resolução 4K em ângulos variados. O digital backlot cria, assim, uma imagem panorâmica de 160 graus, o que permite simular uma cena em uma grande cidade sem a necessidade de o cliente sair de seu local de origem”, diz Tibiriçá, destacando que é possível gerar backgrounds variados em planos gerais, médios e fechados. “Os profissionais fazem várias cenas de estúdio e depois aplicam as imagens em fundos previamente gravados, como se a cena fosse naquela cidade. Temos um diferencial, pois nos Estados Unidos as produtoras criam as cenas e as vendem junto com o trabalho de finalização, como se fosse um pacote. No nosso caso, fornecemos o fundo e deixamos o cliente livre para escolher a empresa que quiser para finalizar o trabalho.”

As imagens feitas pelo formato 4K permitem ampliações de até 40%. É possível realizar uma sequência completa de um filme ou um comercial como se estivesse no local captado. “O produto gera uma enorme economia de custo e tempo de quem o adquire”, afirma o cineasta, ressaltando que, com a CT Image, ele vem tentando fazer um tipo de educação dos consumidores (agências, produtoras etc.) sobre a nova tecnologia. “Dentro disso, vamos fazer no ano que vem um festival dirigido a estudantes, que terão à disposição cinco imagens de várias partes do mundo para criar um vídeo (cinco segundos de fundo e mais 10 segundos de making off). Quem vencer ganha uma semana de curso na principal escola de cinema de Nova York”, garante.

Além do formato digital backlot, é possível trabalhar com as tecnologias virtual sets/frontlots (que compõe em primeiro plano um cenário com texturas reais, como plantas, madeira, pedra etc.) e com a Panoramic Photos (ferramenta desenvolvida para aplicações gráficas ou para projetos cenográficos que não necessitem de imagens em movimento).

Endereços
Para ver e adquirir vídeos no formato Digital Backlot, acesse: https://www.ct-image.com
Conheça mais sobre a CT Image e as tendências do mercado em: http://blog.ct-image.com

 

Mercado voltado para profissional e amador

Em se tratando de equipamentos disponíveis no mercado, a Sony deu a largada na semana passada, ao lançar a primeira câmera da família XDCAM – a PXW-FS7, capaz de capturar imagens no formato 4K. Projetada para a filmagem de documentários, videoclipes, criações de conteúdo on-line, o produto foi criado a partir da opinião de cineastas do mundo todo. “Buscamos ouvir o que eles gostariam de ter em um pacote que aliasse alta qualidade, gravação em câmera-lenta e câmera-rápida ilimitada e a flexibilidade de alternância entre várias lentes, mas sem a necessidade de equipamentos adicionais”, diz Paula Cruz, gerente de Produto da Sony Brasil.

Para Luciano Bottura, gerente de Comunicação e Marketing da Sony, o desenvolvimento da tecnologia 4K está voltado não somente para o mercado profissional, para a produção de esportes, filmes, séries e novelas, como para o consumidor final, com diversos modelos de televisores 4K, todos produzidos em Manaus. Segundo Bottura, para o consumidor final, o único investimento necessário é comprar um aparelho próprio e, em um futuro próximo, ter a assinatura de conteúdo 4K via fibra óptica ou outro sinal, como satélite, de uma operadora de televisão por assinatura.

 

Para assistir

Desde que as TVs Ultra HD foram lançadas que os usuários esperam por conteúdos nessa resolução, pois sem isso para nada serve a tecnologia 4K. Os filmes, séries e programas no formato ainda são poucos, frustrando quem já gastou alguns milhares de reais na compra de um aparelho assim. Entretanto, alguns sites que já oferecem vídeos em 4K no país ajudam a amenizar o problema da falta de conteúdo. Os principais serviços disponíveis são:

» YouTube
O tradicional endereço de vídeos do Google já oferece opções em 4K de forma gratuita. O site, que é a maior biblioteca de vídeos da web, ainda dispõe de um acervo reduzido de vídeos 4K no formato, sendo que o conteúdo pode ser acessado pela maioria dos aparelhos com telas Ultra HD por meio de aplicativos para Smart TVs. Para acessar, é só o usuário fazer uma busca digitando “4K” como palavra-chave, que algumas playlists são disponibilizadas. É importante ressaltar que a resolução máxima do player do YouTube é 2.048p × 1.536p, mas mesmo assim a qualidade dos vídeos é bem superior ao normal.
 
» Netflix
Quem assina o principal serviço de streaming de conteúdo pago do país encontra também opções em 4K. Algumas produções são próprias do serviço, como documentários e a série House of cards. O Netflix vem, entretanto, aumentando sua oferta, incluido agora no seu acervo, como exemplo, a premiada série Breaking bad. Para assistir aos vídeos em 4K pelo site é necessário, porém, assinar o plano Premium, pois é o que fornece suporte para a reprodução em até quatro telas simultaneamente, sejam de TV, de tablet,
de PC ou de smartphone.

» Vimeo
Um dos grandes concorrentes do YouTube também apresenta opções de vídeos em 4K. O site foca em produção de vídeo profissional por artistas de todos os cantos do mundo e, por isso, a quantidade de vídeos na resolução Ultra HD chega a ser maior do que a do YouTube. Da mesma forma que no site do Google, para encontrar conteúdos basta fazer uma busca digitando “4K” que, instantaneamente, uma grande lista de vídeos é exibida. O usuário pode ainda organizá-la de acordo com data, curtidas (likes), duração e popularidade, como também por ordem alfabética.

» Pond5
Com sede nos Estados Unidos e com versão em português, que permite a usuários do mundo inteiro adquirirem vídeos em 4K para utilização em diversos tipos de produção profissional (como campanhas publicitárias, filmes e outros projetos digitais), o Pond5 oferece conteúdos de todo tipo, até mesmo de paisagens brasileiras feitas de forma imersiva pela produtora CT Image. Depois de criar uma conta no Pond5, basta ao usuário explorar a galeria de opções em 4K disponível no site para assistir ao vídeo numa tela Ultra HD ou então comprar o conteúdo que lhe convier.

 

Palavra de especialista

Claudio Baieli, professor argentino especialista em segurança de redes, que está apresentando mestrado em ciência da computação na UFMG 

Para todos

“A 4K é uma das tecnologias mais interessantes dos últimos tempos em termos de imagem, mas ela só terá seu real valor à medida em que possa ser acessada por toda a comunidade, o que, por enquanto, está longe, devido ao alto preço dos equipamentos que a suportam. Os benefícios oriundos da melhora da qualidade das imagens são diversos e dirigidos às várias áreas de atividade, especialmente a de comunicação. E essa evolução chega a todos os dispositivos eletrônicos, que a cada dia se tornam mais eficazes em termos de qualidade, velocidade e até de custo, o que justifica o lançamento de novos modelos em tempos cada vez menores. E é justamente isso que pode levar a uma queda de preços dos produtos e à consolidação final da tecnologia. A incorporação da 4K aos dispositivos deve ser feita de forma a beneficiar a sociedade no geral, seja como forma de trabalho ou no lazer. As imagens reproduzidas pela tecnologia são realmente apaixonantes.”

 

Ultra resolução

Uma imagem com nível de qualidade muito acima das conhecidas até então, até mesmo nas mais avançadas telas de cinema. Isso é o que propõe a tecnologia 4K, cuja resolução de captação e de exibição de imagem é de impressionantes 4.096p x 2.160p (a Full HD é de 1.920p x 1.080p). Isso significa que há uma compressão de 8 milhões de pixels em uma única imagem. Claro que isso possibilita a existência de telas ainda mais amplas sem que haja qualquer tipo de perda visível na resolução das imagens.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade