Publicidade

Estado de Minas

Morre no Rio de Janeiro o astrônomo Ronaldo Mourão

Um dos mais respeitados astrônomos brasileiros e fundador do Museu de Astronomia e Ciências Afins, Mourão publicou quase 100 livros e trabalhou pela divulgação científica


postado em 26/07/2014 08:32 / atualizado em 26/07/2014 09:04

Considerado ícone da astronomia brasileira, Ronaldo Mourão trabalhou pela divulgação da ciência(foto: Divulgação)
Considerado ícone da astronomia brasileira, Ronaldo Mourão trabalhou pela divulgação da ciência (foto: Divulgação)
O astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, de 79 anos, morreu na noite desta sexta-feira no Rio de Janeiro. Ele estava internado no Hospital Quinta D'or, no bairro de São Cristóvão, desde o último sábado (19) com pneumonia. No início de julho, Mourão, que enfrentava o Mal de Parkinson, havia sofrido um acidente vascular cerebral.

Considerado ícone da astronomia brasileira, Ronaldo Mourão trabalhou pela divulgação da ciência, com colunas em várias revistas e jornais do país. Seus primeiros artigos foram publicados na década de 50 e ele alcançou a marca de 98 livros. O pesquisador fundou o Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast) e durante sua carreira desenvolveu foco no campo dos asteroides, cometas e técnica fotográficas dos astros.

Ele deixa quatro filhos e dois netos. O corpo de Mourão será enterrado no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, ainda neste sábado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade